Mercearia Gadanha / Alentejo gourmet à mesa, com certeza!

Pouco faltava para a manhã passar a tarde quando encontramos a pequena mercearia à moda antiga no coração de Estremoz. No balcão, mesmo em frente à porta de entrada, a variedade de bombons conquistam logo à primeira vista, para voluptuosidade dos mais gulosos cujo olhar prolonga mui deleitosa mensagem agora aliada ao colorido dos gelados tão apreciados nesta altura do ano. Na parede contígua ao balcão apresenta-se um armário de outros tempos carregado de pequenas gavetas que, delicadas, guardam os chás para as maleitas ou, simplesmente, para acalentar a alma nos dias frios. Nas prateleiras o doce das compotas, das bolachas e demais iguarias feitas com açúcar desafiam a rima com os presuntos e os paios, entre outros víveres típicos do Alentejo.

Sobre o espaço, a decoração, a preceito, combina as barricas, a fazer de mesa, com os pequenos bancos que ressaltam a memória das tascas de outrora ora aqui retratadas com requinte. De um lado, o rosto de Chico Buarque retratado num quadro sugere as cores de terras de Vera Cruz casadas com os tons das paredes que revestem a mercearia, de portas abertas desde outubro de 2009, batizada com o nome da estátua que ornamenta o lago da nascente da cidade, súmula de Mercearia Gadanha.
Sorridente, Michele Marques, chef de profissão e dona de tão acolhedor espaço e da cozinha do restaurante, recebe-nos com um sorriso harmonizado com boa disposição e simpatia. Empatia rápida acompanhada por palavras que traduzem a velha paixão pela cozinha. Reminiscências de uma infância voltada para tachos, panelas e um fogão de brincar. Imaginário transformado em realidade mais tarde, depois de cursar jornalismo, conseguir que a cidade do Rio de Janeiro a visse partir e “deixar tudo para trás”. Destino traçado no caminho: Estremoz. Aqui arrumou malas e bagagens há oito anos e conheceu o marido, Rui, o braço direito neste desafio de savoir faire de uma jovem mulher de 29 anos, carioca de alma e coração que frequentou o curso de Gestão e Produção de Cozinha, na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, entre 2010 e 2012, e passou pelas cozinhas do Mensagem e do Feitoria, ambos no Altis Belém Hotel & Spa, em Lisboa, e no Il 4 Amici, em Florença, Itália.
O gosto pela gastronomia alentejana dita, porém, o presente à mesa de um espaço que, depois da mercearia propriamente dita – também esta uma casa de vinho de castas nobres, sobretudo do concelho, e da região, mas também do Douro e do Porto, que convidam à prova, à degustação e à partilha com os amigos, logo ali, numa mesa gentilmente disposta num recanto acolhedor criado à imagem de uma adega – prolonga a arquitetura singular e uma decoração tão amável num restaurante de dois pisos, com (quase) um ano de vida. Os tetos de madeira e os quadros oferecidos pelos amigos da casa demarcam o estilo cosy numa maridagem perfeita com o trendy, onde a predominância do branco estilizam os apontamentos em tons suave e o jogo de cores das cadeiras que aguardam pelos apreciadores da gastronomia alentejana com um toque criativo muito feliz! Recomendação: Estejam atentos à receita do bolo de chocolate…

Passemos, então, ao repasto brindado com as sugestões da chef Michele, que nos encheu de mimos. Primeiro com os pastéis de bacalhau em pequenas bolas fritos em azeite – os melhores! – a juntar ao presunto de porco preto e à manteiga de pimento assado para o pão, guardado num saco de pano personalizado. O vinho: Margarida branco 2010, de Margarida Cabaço que, em 2001, decide criar o Monte dos Cabaços; e água servida ao acompanhante mais novo que tão bem sabe apreciar uma refeição a preceito.

À entrada, o foie gras e a bravo esmolfe (foie gras fesco e maçã bravo esmolfe caramelizada) ditam uma combinação agridoce q.b. bem apetecível, taco a taco com os Ovos mexidos do Gadanha, com farinheira, tomate e paio. A prova de ambos dificulta a escolha do melhor… portanto, estão recomendados! Para aconchegar os mais delicados, aconselhamos o Aveludado de ervilhas com crocante de presunto, e a Açorda de perdiz, com pão de poejo e ovo escalfado, duas excelentes apostas para o iniciar, ou o continuar, de um repasto bem alentejano. Do fogão, chega-nos o irresistível Mil folhas de alentejano com bacalhau e presunto e seus acompanhantes, composto por fatias finas de pão alentejano, lascas de lombo de bacalhau, presunto de porco preto, rúcula e ovo estrelado, um prato aprovado também por exigentes comensais de palmo e meio; assim como as suculentas Bochechas de porco preto estufadas em vinho tinto e esmagada de batata com ervas aromáticas, e as deleitosas Presas de porco preto acompanhadas por batata, batata doce e batata vitelotte.

Porque o remate é harmonizado pelo açúcar, o melhor fim ficou no 1000 Folhas de chocolate branco, uma doce composição de massa folhada com mousse de chocolate branco e mousse de chocolate de frutos vermelhos, uma receita especial que conquista o palato, mesmo o dos mais cépticos. Aos adeptos do chocolate negro, a recomendação recai num Chocolate e avelã, ou seja, a combinação perfeita de bolo, gelado e fondant de chocolate 70%, creme e crocante de avelã e na Mousse de 70% com crocante e gelado de baunilha saboreada em pequenas colheradas. Doces combinações traduzidas pelas mãos das chefs Michele Marques e Helena Almeida. Na companhia da sobremesa dos graúdos, eis a sugestão da casa: Mouchão. Um vinho abafado, apropriado para os dias frios do ano, apesar de saber bem quando bebido com gelo.

Eis a primeira sugestão de 2014 – e do amigo François – ou não fosse este o ano em que o Alentejo é considerado um destino obrigatório pela icónica National Geographic Traveler. Agora a morada: Largo Dragões de Olivença 84, Estremoz. •

www.merceariagadanha.pt

Fotografia: João Pedro Rato

 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.