As crianças e a educação através da sétima arte / Gulbenkian

Eis o mote para a criação de um ciclo de filmes de dois fins de semana, acompanhados por debates, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Imagem da película “My way home”, de Bill Douglas

Nos dias 30 e 31 de outubro e 6 e 7 de novembro, a Fundação Calouste Gulbenkian reúne autores, cineastas e pedagogos sob o mote “Pensar em educação com o cinema”, o qual integra também um ciclo de filmes raros do século XX, criado no âmbito da programação Nos Caminhos da Infância, uma iniciativa do Programa Gulbenkian Qualificação das Novas Gerações.

Na lista de realizadores constam os nomes de Bill Douglas, Abbas Kiarostami, Jean Vigo, Pedro Costa, Nikolai Ekk e Vittorio de Setta, os quais focam a infância e o imaginário infantil, ao mesmo tempo que levantam questões tão pertinentes, como o que é crescer e sobre como aprender a viver o dia a dia e a relacionar-se com os pares e os adultos.

De acordo com o alinhamento do programa, a exibição dos filmes agendada para o dia 30 de outubro, começa às 21 horas com uma sessão composta por “A experiência (Irão, 1973), de Abbas Kiarostami, e “Zero em comportamento” (França, 1933), de Jean Vigo. No debate estão presentes o cineasta e crítico francês Alain Bergala, a pedopsiquiatra Maria Luís Borges de Castro e o diretor da Cinemateca Portuguesa José Manuel Costa.

O ciclo prossegue no dia 31 de outubro, com uma trilogia de filmes de Bill Douglas e datadas da década de 1970’ – “My childhood”, My ain folk” e “My way home”. A sessão é completada com a curta-metragem “Tarrafal”, de Pedro Costa, realizada por encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian no âmbito das comemorações do seu cinquentenário e que integrou o filme “O estado do mundo”.

A programação Nos Caminhos da Infância continua a 6 de novembro, com a obra de Nikolai Ekk “O caminho da vida (1931), o primeiro filme sonoro feito na ex-URSS, para ver a partir das 21 horas.

A 7 de novembro é projetado “Diario di un Maestro” (1973), de Vittorio de Seta, às 15 e às 18.30 horas, com a presença de Bernard Eisenschitz e José Manuel Costa, precedido de uma mesa redonda marcada para as 10.30 horas, com Pierre Léon, Bernard Eisenschitz, Manuela Barros Ferreira e Cláudio Torres.

O ciclo “Pensar em educação com o cinema”, que acontece na Sala Polivalente do Centro de Arte Moderna, da Fundação Calouste Gulbenkian, e cujo programa detalhado pode ler aqui, conta com a participação da Fundação Lucinda Atalaia e a parceria da Cinemateca Portuguesa. Mais: Todos os filmes são legendados em português e todas as conversas têm tradução simultânea para português.

A ir. Bons filmes! •

+ Fundação Calouste Gulbenkian
Legenda da imagem de entrada: “My ain folk”, do realizador Bill Douglas

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.