Um passeio de Verão pela Quinta das Carvalhas

As provas ao ar livre são, cada vez mais, a grande aposta do programa de enoturismo da “joia da coroa” da Real Companhia Velha, junto ao Pinhão, onde 500 hectares convidam a uma panorâmica de 360° a 550 metros de altitude. Vamos a isso?

O imenso Douro vinhateiro conquista o olhar de quem elege o programa “A Ruin With a View”

“O que traz um copo de vinho? Traz agricultura, história, sociologia, enologia, ecologia.” A interpretação é feita por Álvaro Martinho, agrónomo responsável pela viticultura da Quinta das Carvalhas, a chamada joia da coroa da Real Companhia Velha, um duriense de corpo e alma que conhece a mais antiga região demarcada do Mundo como a palma da sua mão e um homem dedicado à terra, à vinha, às castas. E quanto representa o Douro numa garrafa de vinho? “Produzir um quilo de uvas nestas encostas é quatro vezes mais caro do que nessas regiões”, reforça quando compara o estonteante conjunto de socalcos durienses com os vinhedos das regiões vinícolas planas, onde o trabalho encarece menos. “Como é que nós somos tão loucos em plantar vinhas há três séculos?” A persistência do nosso cicerone leva-nos a olhar com mais atenção para a composição do terreno cravejado de raízes de árvores e arbustos que, deste modo, procuram “os nutrientes que precisam para sobreviver”. Porém, “o solo é esquelético e há pouca precipitação”, realidade que Álvaro Martinho encara como um benefício: “O solo pobre é o nosso maior tesouro.” Além disso, “75 por cento do terreno do Douro regista entre 40 a 70 graus de inclinação”.

Eis o cenário da Quinta das Carvalhas, em Ervedosa do Douro, no concelho de São João da Pesqueiro, em frente ao Pinhão, onde vinhas com mais de 80 anos preenchem declives que chegam a atingir 70 graus, como o vinhedo em redor da Ruína, uma casa secular recuperada há cerca de dois anos e que faz parte do programa de enoturismo desta propriedade da bi-centenária Real Companhia Velha. Falamos da quinta onde, em 2002, introduziu a agricultura sustentável e da “primeira empresa a aumentar o salário às mulheres que trabalhavam na vinha”, revela Álvaro Martinho, e cujo universo regista a maioria, ou seja, 80 por cento dos trabalhadores da Quinta das Carvalhas, que convida a uma visita elucidativa sobre a terra, a vinha, as castas.

Na visita à Ruína, os néctares de Baco da Quinta das Carvalhas juntam-se aos queijos e aos enchidos, para uma prova descontraída ao ar livre

Para começar ou terminar o roteiro pela propriedade, há a loja, espaço recém-redecorado e aberto todos os dias (excepto 25 e 26 de Dezembro, 1 e 2 de Janeiro), das 10 às 13 e das 14 às 19 horas (da 14 às 18 horas, no Outono e no Inverno) a quem optar por fazer prova e adquirir vinhos do Douro e Vinho do Porto da Real Companhia Velha.

Aos mais corajosos e amantes da Natureza recomendam-se as caminhadas feitas com o auxílio de um mapa disponibilizado no início, pois há vários percursos para fazer a pé. No final, o brinde faz-se com um cálice de Vinho do Porto. A reserva pode ser feita para qualquer dia da semana (excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro, 1 e 2 de Janeiro), para o período entre as 10 às 12 e as 14 às às 18 horas (até às 16 horas, de Outubro a Março). Os preços variam entre os 5€ (crianças 6-12 anos) e os 10€ (adultos).

Em contrapartida, há o Royal Bus Sightseeing Tour, o minibus descapotável que permite conhecer os cantos e os recantos da Quinta das Carvalhas até à casa redonda localizada no topo da propriedade, onde a vista se perde entre vinhedos e o vale rasgado pelo rio Douro. A viagem começa no Pinhão, termina com um copo de Vinho do Porto Quinta das Carvalhas Reserva Tawny & Ruby e é para agendar entre Terça e Domingo (de Maio a Setembro), das 10 às 12 e das 15 às 17 horas. O preço varia entre os 5€ (crianças 4-11 anos) e os 12,50€ (adultos).

Para que aprecia uma viagem no tempo e conhecer o Douro da raiz à ponta da videira, o melhor é optar pela Vintage Tour, na companhia de Álvaro Martinho, a qual inclui uma prova com vinhos da gama Carvalhas (branco, Tinta Francisca, Touriga Nacional e Vinhas Velhas tinto), uma tábua de queijos e enchidos e, para finalizar, um cálice de Vinho do Porto. Para este itinerário impera a reserva, tem início marcado para as 10 horas e os preços variam entre os 5€ (crianças 4-11 anos) e os 75€ (adultos).

Há ainda a Vineyard Guided Tour, em que a história do vinho é contada em plena Natureza, culminando com uma prova de Carvalhas branco, Carvalhas tinto e de Vinho do Porto. A marcar e agendar para qualquer dia da semana (excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro, 1 e 2 de Janeiro), a partir das 10 horas. Quanto ao valor da viagem, aquele varia entre os 35€ (adultos) e os 5€(crianças entre os 4-11 anos).

Já a visita à Ruína pode ser, por sua vez, associada ao roteiro Vineyard Guided Tour, a partir das 10 horas, e feita todos os dias (excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro, 1 e 2 de Janeiro) mediante marcação, para uma prova de vinhos ao ar livre com os vinhos de topo da gama Carvalhas branco e Carvalhas Touriga Nacional, e um cálice de Vinho do Porto, acompanhados de queijos e enchidos. O preço do programa A Ruin With a View é de 45€, para adultos, e de 5€, para os mais novos (dos 4 aos 11 anos).

Aos que gostam de pôr a mão na massa, ou melhor, o pé no mosto, há a Harvest Experience, a agendar na época das vindimas, quer na Quinta das Carvalhas ou Quinta do Casal da Granja, em Alijó. Reserve e anote que os trabalhos começam às 10.15 horas.

Agora, fale com a família e ou os amigos, faça as malas, escolhendo roupa e calçado confortável, e aproveite os feriados e o Verão que estão à porta para explorar melhor a mais antiga região do Mundo. A propósito, já sabe qual vai escolher? Boa viagem! •

+ Real Companhia Velha
© Fotografia: João Pedro Rato
Legenda da foto de entrada: Álvaro Martinho, responsável pela viticultura da Quinta das Carvalhas

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.