Lisboa Soa 2017

Depois do sucesso da 1.ª edição em 2016, está de regresso o evento que desafia a que se pare e escute. O Lisboa Soa – Encontro de Arte Sonora, Urbanismo e Cultura Auditiva está de regresso com a permissa de aprofundar a reflexão sobre o som e pensar na escuta como forma de criar pontes num mundo com demasiados muros.

“O que é preciso para reduzir a distância entre pessoas ou culturas diferentes?” É a esta questão que o programa tenta responder partindo da certeza que aprender a escutar é urgente, já que ouvir é abrir uma porta ao outro e à experiência de diálogo que vai para além da palavra. Assumindo a sua itinerância por diferentes jardins da cidade, o Lisboa Soa instala-se este ano na Estufa Fria para quatro dias de descoberta de workshops, instalações site-specific, performances e concertos de artistas nacionais e internacionais que exploram as características físicas do espaço envolvente, levando a audiência a fruir, aprender e reflectir sobre o ambiente acústico que a rodeia através da interacção com as obras e os próprios criadores.


© Performance | Prática das Cordas de Adriana Sá & John Klima (PT, USA)

Assim, dia 14, o festival abre com “Prática das Cordas”. A performance de Adriana Sá e John Klima combina cordas, longos arames esticados no espaço e sons pré-gravados numa homenagem lúdica à teoria das cordas, a mesmo que afirma que toda a matéria é formada por pequenos filamentos de energia, descrevendo como os mesmos se propagam pelo espaço e interagem uns com os outros. Logo depois, a sound artist e designer ambiental inglesa Mileece, artista que combina arte e tecnologia para instigar e animar a conexão humana com as dimensões escondidas e vivas da natureza. Será assim a oportunidade de ver o jardim da Estufa Fria transformado em orquestra com os sons harmónicos que traduzem impulsos bio-elétricos aplicados às folhas das plantas.

No dia 15, destaque para os norte-americanos Jen Reimer e Max Stein, dupla que tem explorado a ressonância e a natureza acústica dos espaços urbanos. Combinando trompa ao vivo e processada e gravações de campo com o ambiente sonoro do lugar da performance, vão criar uma experiência imersiva e física de som e espaço. André Gonçalves e a sua “Música Eterna” levam-nos logo depois numa viagem sonora de fazer perder no tempo e na contemplação.

Sábado, o argentino Juan Sorrentino – em residência desde Agosto – apresenta “Motto”, concerto resultado do seu workshop. Os oito artistas/participantes terão mochilas de som, equipadas com microfones, que, amplificando os sons da Estufa Fria, irão transformar os passos, os ramos e o vento nas árvores em instrumentos. A pauta é traduzida num mapa físico, delineando cada movimento dos artistas. O dia termina com a grande estreia da eslovena AGAPEA aka Saša Spačal com o seu “Sonic close-up com grilos ao vivo Acheta Domesticus” num diálogo entre as pessoas, animais e tecnologia.


© Performance | Motto de Juan Sorrentino (ARG)

No último dia, os portugueses Sonoscopia apresentam “Fauna”, uma re-recriação feita a partir de uma estrutura electroacústica onde as fontes sonoras são distribuídas no espaço físico da Estufa Fria de Lisboa, cujas singularidades e particularidades acústicas e visuais actuam como elementos fulcrais no plano da composição e se transformam em matéria e forma musical. Durante todos os dias do festivais, ainda oportunidade de participar em vários workshops e interagir com as instalações sonoras site-specific de artistas como Adriana Sá & John Klima, Cláudia Martinho ou João Ricardo. Sem mais demoras, o Programa Completo:

11/09 a 16/09, 14h30-17h30 – Workshop* | MOTTO | Juan Sorrentino (ARG). (Os participantes deste workshop irão apresentar-se em performance durante o festival)

14/09 a 17/09 – Instalações Sonoras de:
Adriana Sá & John Klima (PT, USA), Cláudia Martinho (PT), Jen Reimer & Max Stein (CAN, USA), João Ricardo (PT), Juan Sorrentino (ARG), Sonoscopia (PT).

14/09
17h00 – Inauguração.
17h00-20h30 – Instalações Sonoras.
18h30 – Performance | Prática das Cordas de Adriana Sá & John Klima (PT, USA).
19h30 – Performance de Mileece (UK).

15/09
10h00-20h30 – Instalações Sonoras.
10h30-16h30 – Workshop* | Sons Escondidos do Parque de Peter Cusack (UK).
18h30 – Performance | Jen Reimer & Max Stein (CAN, USA).
19h30 – Performance | Música Eterna de André Gonçalves (PT).

16/09
10h00-20h30 – Instalações Sonoras.
10h30-16h30 – Workshop* | Pensar com os Ouvidos de Sam Auinger (AUST).
11h30-13h30 – Workshop* | crianças > 8 | Lugares Sonoros com Luís Antero (PT).
14h30-16h30  – Workshop* | Soundwalk Walk com Maile Colbert & Ana Monteiro (USA, PT).
18h30 – Performance | Motto de Juan Sorrentino (ARG).
19h30 – Performance | Cycles de AGAPEA aka Saša Spačal (ESL).

17/09
10h00-20h30 – Instalações Sonoras.
11h30-12h30 – Workshop* | crianças | Só Estou de Ouvidos com Joana Estevão (PT).
14h30-17h30 – NAVE – 8000 M3 De Ar em Movimento… um exercício de escuta experimental com Sam Auinger (AUST).
17h30 – Performance | Fauna dos Sonoscopia (PT).

Para mais informações e inscrições nos workshops, contactar através do email lisboasoa@gmail.com. De resto, é tomar nota e marcar presença neste evento ímpar que nos faz escutar a cidade como nunca. •

Lisboa Soa
© Fotografia de destaque: Performance | Cycles de AGAPEA aka Saša Spačal (ESL)..

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.