ECHO Rising Stars / Gulbenkian

É já nos inícios do próximo mês de fevereiro, que se irá realizar a 3ª edição de Rising Stars, um programa de seis recitais com os músicos nomeados pela ECHO – European Concert Hall Organization, constituída pelas mais prestigiadas salas de concertos da Europa, entre as quais a Fundação Calouste Gulbenkian. Rising Stars é apresentado num dia de Portas Abertas, sendo os concertos de entrada gratuita (não há desculpa para não ir), mediante o levantamento prévio de bilhete na bilheteira da Fundação Calouste Gulbenkian, a partir das 10h00 do próprio dia.

Nesta esperada edição de Rising Star vai poder ouvir o trompetista Tamás Pálfalvi, o violinista Emmanuel Tjeknavorian, a cantora Nora Fischer, o quarteto Quatuor Van Kuijk, a violetista Ellen Nisbeth e por fim o percussionista Christoph Sietzen. Uma mão cheia de jovens músicos que não deixam quaisquer dúvidas sobre o seu talento nato para a música.

Aos 25 anos, o músico húngaro Tamás Páfalvi tem vindo a destacar-se por estar entre os mais visionários e inovadores trompetistas da atualidade, tendo arrecadado dois prémios de renome: o Fanny-Mendelssohn-Förderpreis e o Prémio do solista WEMAG do Festival de Mecklenburg-Vorpommern. O músico austríaco Emmanuel Tjeknavorian começou a ganhar reconhecimento internacional quando ganhou o Prémio de Melhor Interpretação do Concerto para Violino de Sibelius e o 2.º lugar no Concurso Internacional de violino Jean Sibelius em 2005. O violinista participa atualmente no programa “Great Talent” da Wiener Konzerthaus, em Viena, que o vai colocar em palco com grandes artistas como Elisabeth Leonskaja, entre outros.

Baseada em Amesterdão, Nora Fischer usa a sua voz como um instrumento versátil que aplica a um vasto repertório, que vai desde Monteverdi às várias composições escritas para a artista. Nora Fischer tem um fascínio especial por música contemporânea, tendo colaborado com alguns dos mais prestigiados compositores contemporâneos, como Louis Andriessen, Osvaldo Golijov, Steve Reich, David Lang, Michel van der Aa e Nico Muhly. O quarteto Quatuor Van Kuijk, atualmente nomeado pela BBC News como “New generation Artists” arrecadou os Prémios Best Beethoven e Best Haydn no Concurso Internacional de Quartetos de Cordas de Wigmore Hall em 2015, assim como o Primeiro Prémio e o Prémio do Público no Concurso Internacional de Música de Câmara de Trondheim.

A violetista sueca Ellen Nisbeth é considerada uma das mais vibrantes músicas nórdicas da sua geração, tendo recebido o Prémio de Melhor Solista Sueca e de Melhor Solista Nórdica em 2013. A violetista toca uma viola Dom Nicolo Amati, datada de 1714. O percussionista Christoph Sietzen, nascido em Salzburgo mas sediado no Luxemburgo, tem sido recorrentemente elogiado pela imprensa internacional não só pelo seu talento como pela sua presença em palco. O músico foi vencedor do Concurso Internacional de Música ARD em 2014 e recebeu ainda o Prémio Pizzicato Supersonic pelo seu primeiro disco a solo.

Nós avisámos que eles não deixavam espaço para dúvidas sobre o seu superlativo talento. Eis o programa que vai querer tomar nota na sua agenda cultural:
11/02, 11h00 – Tamás Pálfalvi. Interpreta: Tomaso Albinoni – Sonata em Lá maior, op. 6 n.º 11 (Arranjo para trompete e piano de Tamás Pálfalvi); Péter Eötvös – Sentimental (Encomenda Müpa Budapest, com o apoio ECHO); Béla Bartók – Danças Romenas, op. 8a; Gerge Enescu – Legende; Claude Debussy – La sérénade interrompue, Voiles, Les collines d’Anacapri; George Gershwin – Prelúdio n.º 2 (Arranjo para trompete e piano de Tamás Pálfalvi); Robert Erickson – Kryl.
11/02, 13h00 – Emmanuel Tjeknavorian. Interpreta: Eugène Ysaÿe – Sonata para violino solo em Sol maior, op. 27 n.º 5; Johann Sebastian Bach – Chaconne da Partita para Violino solo n.º 2, em Ré menor, BWV 1004; Béla Bartók – Tempo di Ciaccona da Sonata para violino solo, Sz. 117; Christoph Ehrenfellner – Suite des Alpes, op. 36 (Encomenda Musikverein Wien e Wiener Konzerthaus, com o apoio ECHO); Heinrich Wilhelm Ernst – Tema e Variações para violino solo sobre “The Last Rose of Summer”.
11/02, 15h00 – Nora Fischer. Interpreta: Claudio Monteverdi – Lamento della ninfa; Francis Poulenc – La Courte Paille; Barbara Strozzi – Lagrime mie; Morris Kliphuis – A Wine Flows Within Me (Encomenda Het Concertgebouw Amsterdam, com o apoio ECHO); Stefano Landi – Augellin; Claudio Monteverdi – Oblivion Soave; Béla Bartók – Cenas da aldeia, Sz. 78.
11/02, 17h00 – Quatuor Van Kuijk. Interpreta: Edith Canat de Chizy – En noir et or, quarteto para cordas n.º 4 (Encomenda Philharmonie de Paris – Cité de la musique e Festspielhaus Baden-Baden, com o apoio ECHO); Franz Schubert – Quarteto n.º 14, em Ré menor, D. 810, A Morte e a Donzela.
11/02, 19h00 – Ellen Nisbeth. Interpreta: Percy Grainger – Scandinavian Suite: Song of the Vermeland; Katarina Leyman – Tales of Lost Times (Encomenda Stockholms Konserthus, com o apoio ECHO); Duke Ellington – Anatomy of a Murder: Low Key Lightly / Flirtbird; Percy Grainger – To a Nordic Princess; Edvard Grieg – Sonata para Violino e Piano em Dó menor (transcrição para viola e piano de Ellen Nisbeth).
11/02, 21h00 – Christoph Sietzen. Interpreta: Emmanuel Séjourné – Attraction; Iannis Xenakis – Rebonds B; Johann Sebastian Bach / Bogdan Bacanu – Chaconne da Partita para Violino solo n.º 2, em Ré menor, BWV 1004; Arvo Pärt – Variationen zur Gesundung von Arinuschka; Christoph Sietzen – Peça para caixa solo; Ivan Boumans – The Cloth – Variations on a Spanish Folk Song; Stewart Copeland – Sheriff of Luxembourg (Encomenda Philharmonie Luxembourg, com o apoio ECHO).

Dentro do programa haverá ainda actividade paralelas que poderá consultar no link abaixo. A não perder, na Gulbenkian em Lisboa. •

+ Gulbenkian Música
© Fotografia: Tamás Pálfalvi, por Dominik Odenkirchen.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.