O peixe dá hoje à costa em Lisboa

São 11 dias, 10 restaurantes e 26 chefs. O dominador comum? Os sabores marinhos, com o areixe como protagonista no prato, em provas, showcookings, tertúlias e apresentações. Mas, há um intruso no meio de tanto mar nesta 11.ª edição do Peixe em Lisboa, evento a que a capital portuguesa já não descura na sua agenda anual.

“É um festival que procura espelhar a cozinha em Lisboa e em Portugal”, explica Duarte Calvão, director do Peixe em Lisboa que, entre hoje, dia 5, e 15 de Abril fará abrir o apetite de epicuristas e curiosos no que à cozinha diz respeito, no Pavilhão Carlos Lopes, no Parque Eduardo VII. Além dos “nomes consagrados” de Lisboa e de outras partes do país, mas também d’além fronteiras, o objectivo traçados para estes 11 dias dar espaço consiste ainda em “dar espaço a quem está a afirmar-se na cozinha, neste momento”. Mas já lá iremos.

Primeiro, damos início ao périplo pelos dez restaurantes e pelos seus chefs que estarão presentes neste evento dedicado à gastronomia do mar. Na lista constam, por ordem alfabética, Alexandre Silva, do Loco (1 estrela Michelin), que aceitou este desafio pela primeira vez; André Magalhães, com a sua recente Taberna Fina, no Le Consulat, em Lisboa; a dupla Hélder e Rita Chagas, do Ribamar, em Sesimbra, que já faz parte da casa, pois está presente no Peixe em Lisboa desde a primeira edição; João Bandeira, da Casa do Bacalhau, em Lisboa; João Pedrosa, do Ibo, em Lisboa; Kiko Martins, d’ O Poke, d’ A Cevicheria, d’ O Watt, d’ O Asiático e d’ O Talho, em Lisboa; Paulo Morais, do Kanazawa, em Lisboa; Pascal Meynard, do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa; Rodrigo Castelo, do Mariscador (e da Taberna Ó Balcão, em Santarém); e Sergi Arola, do Arola (Penha Longa Resort), em Sintra.

Será que “peixe não puxa carroça”?

Bacalhau, alho e queijo da Ilha de São Jorge, de André Magalhães

Para quem insiste repetir o ditado, relembramos que está “a pregar aos peixes”. O melhor é (com)provar as sugestões preparadas por alguns dos chefs e confeccionadas pelas suas equipas. Em destaque está a brandade de bacalhau, alho e queijo da Ilha de São Jorge, nos Açores, prato que faz parte da carta da Taberna Fina e “uma combinação improvável”, confessa André Magalhães, além da mousse de chocolate com pasta de algas e alga spirulina em pó criada para este evento. André Magalhães, que está, desta vez, no Peixe em Lisboa com a recém-inaugurada Taberna Fina a somar à Taberna da Rua das Flores.

Hélder e Rita Chagas, pai e filha, proprietários do sexagenário e emblemático Ribamar, levam novidades ao Peixe em Lisboa: polvo à lagareiro com chips de batata doce e batata doce em puré e pimento assado, um prato de bacalhau e o pudim de abóbora acompanhado por uma mousse de mascarpone. Ao todo são 16 pratos e a promessa de peixe e muito marisco de mar.

O vencedor do Concurso da Patanisca da edição de 2016 do Peixe em Lisboa conta, desta vez, com a estreia absoluta no evento. Falamos da Casa do Bacalhau que preenche a sua ementa com quatro entradas e sete pratos. As célebres pataniscas marcarão presença obrigatória, entre outras receitas que terão o fiel amigo como protagonista, “para mostrar a versatilidade do bacalhau que pode também ter um empratamento mais gourmet, além do tradicional, que também não irá faltar”, salienta João Bandeira. Acrescente-se a sobremesa, como o doce de ovo com areia de frutos secos e aveia ou o gelado de biscoito com nozes e amêndoas caramelizadas.

Já João Pedrosa, do Ibo, no Cais do Sodré, assegura conquistar o palato dos epicuristas com oito novidade, das quais saem uma dupla de sobremesas, e duas repetições. Na lista das boas novas estão um prato de vieiras ou o cheque-cheque de peixe – o melhor é ir e experimentar –, e os gelados da sua Gelataria Fiori, como o sorbet de goiaba e sorbet negro à base de coco tostado e carvão vegetal (quem não ler o artigo até aqui ficará a pensar que é feito com tinta de choco).

Kiko Martins é o senhor que se segue com pratos dos seus restaurantes: o ceviche puro, d’ A Cevicheria, o poke de vieiras e o taco de atum, d’ O Poke, o tataki de espadarte rosa, d’ O Asiático, a espetada de polvo d’ O Watt, e o taco de tártaro, d’ O Talho – bem avisámos de que iria haver um intruso no meio de tantos mergulhos nos sabores marinhos deste Peixe em Lisboa.

O reconhecido sushiman português Paulo Morais está, por sua vez, no espaço reservado ao restaurante Kanasava, do qual está à frente desde o Verão do ano passado. Para a mesa do Peixe em Lisboa promete muita cozinha nipónica com o peixe no papel principal de toda a sua carta. O prato de ouriço é, por outro lado, um bom exemplo de que os sabores marinhos levam a uma multiplicidade de receitas a degustar. Excepto à sobremesa, com um doce típico japonês feito à base de feijoca com a qual é feita uma pasta (semelhante aos doces algarvios) que ganha diversas formas e recheada ou com castanhas ou batata doce, acompanhado de frutos.

Quanto a Pascal Meynard, o chef executivo francês do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa, a cozinha terá um toque francês, mas a cozinha italiana e a típica de dentro de portas também irá meter a colher.

Do peixe de mar vamos para o de rio. Quem o afirma é Rodrigo Castelo, o chef ribatejano que, neste momento, está centrado na menina dos seus olhos, o Mariscador, a respeito do qual diz-nos “estamos a ter um grande desafio que qualquer cozinheiro quer, que é virmos mostrar ao público o que fazemos”. Por isso, conte com lagostim, por exemplo, entre outras espécies que tomam o rio como habitat, sem esquecer receitas da Taberna Ó Balcão, como o coscorão do rio até ao mar, e adaptações, como as buchas de sapateira e cones com camarinhas, sem esquecer o imperdível “expresso de caranguejo da meia-noite” ou “nem tudo é limão” – esta última é a sobremesa ex-líbris da Taberna Ó Balcão.

A terminar, e em nome do chef catalão Sergi Arola, leva a feijoada do mar composta por salmonete, robalo, lula e camarão do Algarve, prato criado propositadamente para este evento, entre outros. À sobremesa conte, pelo menos, com uma panna cotta de biscoito e sorbet de tangerina.

“Como peixe na água”

O doce típico japonês de Paulo Morais

A 11.ª edição do Peixe em Lisboa conta ainda com vários chefes nacionais e internacionais familiarizados com apresentações, conversas e showcookings.

Em cartaz estão Ashley Palmer-Watts, responsável pelo Dinner (2 estrelas Michelin), em Londres, um dos mais conceituados restaurantes da Grã-Bretanha; Anthony Genovese, chefe do Il Pagliaccio (2 estrelas Michelin), um dos mais trendy restaurantes de Roma; Ana Ros, eleita a “Melhor Chefe Feminina do Mundo” em 2017 graças ao seu trabalho no restaurante Hisa Franko, na Eslovénia; Andrew Wong, do londrino A Wong (1 estrela Michelin); Iván Domínguez, do restaurante Alborada (1 estrela Michelin), na Corunha, Galiza; José Avillez, do Belcanto (2 estrelas Michelin), em Lisboa.

A presença de João Oliveira, do Vista (1 estrela Michelin), no Bela Vista Hotel & Spa, em Portimão, e de Tiago Bonito, no Largo do Paço (1 estrela Michelin), da Casa da Calçada, em Amarante, devem-se ao facto de, no primeiro caso, o restaurante ter recebido a estrela Michelin e de, no segundo, a ter reconquistado.

Vasco Coelho Santos, do Euskalduna Studio, no Porto, Diogo Noronha, do Pesca em Lisboa, e Diogo Rocha, do Mesa de Lemos, na Quinta de Lemos, em Silgueiros, Viseu, sobressaem pelo estilo arrojado na cozinha, bem como Ljubomir Stanisic, do 100 Maneiras, em Lisboa.

Bertílio Gomes, do Chapitô à Mesa, um dos chefs mais marcantes no país, e Pedro Almeida, do Midori (Penha Longa Resort), em Sintra, constam na lista do showcooking ao lado de João Rodrigues, do Feitoria (1 estrela Michelin), em Lisboa, que tem vindo a marcar pontos numa cozinha muito voltada para a matéria(-prima).

“Não ser carne nem peixe”

O brownie de chocolate, terra de cogumelos, “ovas” de maracujá e cogumelos de chocolate, uma das sobremesas de Kiko Martins

Em agenda imperam provas de vinhos e concursos gastronómicos, como os míticos desafios dedicados às pataniscas e ao pastel de nata que, em datas separadas, serão avaliados por um júri presidido pela célebre gastrónoma Maria de Lourdes Modesto.

À semelhança de 2016, a edição deste ano tem uma área reservada a crianças, onde os mais novos são desafiados a meter a mão na massa. As experiências culinárias coordenadas e supervisionadas por Joana Byscaia não ficam por aqui, pois a chef irá advertir quão importante é cozinhar com ingredientes frescos e a comer de forma saudável. Afinal, é de pequenino que se torce o pepino…

Em colaboração com a Ciência Viva e a Docapesca decorrem sessões dedicadas à pesca sustentável e ao consumo de espécies que não correm riscos de extinção, com destaque para o carapau. No último dia do evento realiza-se uma apresentação por parte dos conceituados chefes Bertílio Gomes, do Chapitô à Mesa; João Rodrigues, do Feitoria (detentor de uma estrela Michelin) e de Pedro Almeida, do Midori, no Hotel Penha Longa. Nesta iniciativa os chefes estarão a confecionar receitas de carapau que o público terá a oportunidade de provar.

Mais novidades? Sim. Este ano há três esplanadas ao ar livre e, por isso, mais de uma centena de lugares para apreciar um bom peixe ao ar livre. O habitual Mercado Gourmet conta com uma nova localização, a fim de permitir uma maior fluidez do público. O auditório para as apresentações e conferências está localizado numa sala mais ampla.

O Peixe em Lisboa, evento organizado pela Associação Turismo de Lisboa e apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa, começa hoje, às 18 horas, com uma homenagem à peixeira Açucena Veloso, e fecha as portas à meia-noite, no Pavilhão Carlos Lopes. Entre 6 e 14 de abril, o horário é das 12 às 00 horas (sextas e sábados aberto até à 1 hora) e no dia 15, o fecho antecipa-se para as 18 horas. O dia 9 de Abril continua a ser o “Dia Económico” em que o valor da entrada (€15 por pessoa) confere o direito ao consumo de dez euros nos restaurantes ao longo do dia. Durante os dias de semana, entre as 12 e as 15 horas, o valor da entrada no Peixe em Lisboa dá direito a duas degustações de cinco euros. A entrada de grupos (5 pessoas / 1 dia) é de 60 euros e a das crianças até aos 12 anos é gratuita.

Agora é espreitar a agenda (aqui) e ir! •

+ Peixe em Lisboa
© Fotografia: João Pedro Rato
Legenda da foto de entrada: (da esquerda para a direita) Vladmir Veiga, em representação de Sergi Arola, Rodrigo Castelo (Mariscador), Alexandre Silva (Loco), Paulo Morais (Kanazawa), João Pedrosa (Ibo), André Magalhães (Taberna Fina), João Bandeira (Casa do Bacalhau), Kiko Martins (O Poke, A Cevicheria, O Watt, O Asiático, O Talho)

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.