A Escola da Noite e Instituto Brincante

O músico e bailarino brasileiro António Nóbrega, fundador do Instituto Brincante, regressa a Portugal nesta última semana de Setembro, a convite da Cena Lusófona e d’A Escola da Noite. No Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), em Coimbra, realiza com Rosane Almeida uma “Ocupação Brincante”, que incluirá oficinas e aulas-espectáculo. Uma oportunidade imperdível (para não dizermos obrigatória) de mergulhar na “fricção cultural” do Brasil de hoje, entre o imaginário cultural popular e as influências do “Ocidente”, através das linguagens da dança, da música e da poesia.

Entre hoje, dia 25 e o dia 30 de Setembro, A Escola da Noite e a Cena Lusófona acolhem em Coimbra a “Ocupação Brincante” com António Nóbrega e Rosane Almeida. O programa desenhado com o artista brasileiro (que em 2003 passou pela Oficina Municipal do Teatro e pelo TAGV) dará a conhecer o notável trabalho de pesquisa e formação desenvolvido por aquele que é um dos mais singulares músicos, bailarinos e coreógrafos contemporâneos do Brasil e do espaço lusófono. Se ainda não descobriu Nóbrega, é proibido ficar em casa.
De hoje até sexta-feira, terão lugar duas oficinas, com a duração de quatro dias – uma de dança, dirigida por Rosane Almeida, e outra de música e poesia, dirigida pelo próprio Nóbrega. “Uma linguagem brasileira da dança” e “Tirando versos na rima” são particularmente apelativas para intérpretes de artes cénicas, alunos/as e professores/as do ensino artístico e educadores/as, mas destinam-se ao público em geral e podem ser usufruídas por qualquer pessoa, independentemente da experiência artística que tenha.

Das Aulas-espectáculo:
“Com Passo Sincopado” e “Mátria” são os títulos das duas aulas-espectáculo que António Nóbrega apresentará no palco do TCSB nos dias 29 e 30 de Setembro (sábado às 22h00 e domingo às 16h00). Na primeira, o artista apresenta a sua visão de uma dança brasileira contemporânea, sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais índio-africano-iberopopulares (passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc.) com princípios técnicos, práticas e procedimentos formais provenientes de linguagens de dança do Ocidente e Oriente.
Em “Mátria”, que define como “ uma viagem lírica e brincalhona e ao mesmo tempo repleta de significados”, Nóbrega aprofunda, através da música cantada e instrumental, da dança e da representação, uma síntese da fricção cultural que identifica no Brasil contemporâneo, entre o rico imaginário cultural popular brasileiro (a “Mátria”) e “o universo cultural Pátria – o da técnica e sistematização desenvolvidos pela tradição ocidental de cultura, de ascendência greco-latina-judaico-bárbaro-cristã”.

De António Nóbrega e Rosane Almeida:
António Nóbrega nasceu em Recife, Pernambuco, em 1952. Iniciou a sua carreira artística através do violino, instrumento que o acompanhará nas suas diversas actividades artísticas. Entre 1968 e 1970, integrou a Orquestra de Câmara da Paraíba e a Orquestra Sinfónica do Recife. Em 1971, foi convidado por Ariano Suassuna para integrar o Quinteto Armorial, grupo precursor na criação de uma música de câmara brasileira de raízes populares. A partir de 1976, começou a desenvolver um estilo próprio de criação. Em 2002 apresentou “Lunário Perpétuo”. Entre 2006 e 2007, apresentou “Nove de Frevereiro”, dedicado ao frevo, a que se seguiram “Passo”, “Naturalmente – Teoria e jogo de uma dança brasileira”, “Húmus” e “Pai”, entre outros. Tem apresentado o seu trabalho em inúmeros países, entre os quais Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Cuba, Rússia e França. Recebeu inúmeros prémios, entre os quais o TIM de Música, SHELL de teatro, Mambembe e APCA. Recebeu por duas vezes a Comenda do Mérito Cultural. Fundou e dirige, em São Paulo, o Instituto Brincante, local de cursos, apresentações, oficinas, mostras e encontros onde procura apresentar, dinamizar e difundir aspectos pouco conhecidos da cultura brasileira. Actualmente está a escrever uma obra ensaística sobre a dança brasileira e prepara um novo espectáculo. “Brincante – O Filme”, documentário sobre a actividade do Instituto, foi, nesta especialidade, Grande Prémio de Cinema Brasileiro 2015.
Rosane Almeida fundou, com Nóbrega, o Instituto Brincante. É actriz, bailarina, artista de circo e música e dedica-se há mais de 20 anos ao estudo da diversidade cultural do país e à valorização de seu imaginário e universo simbólico.
Absolutamente obrigatório conhecer, ao vivo no seu palco, estes marcos do Instituto Brincante.

Para melhor organizar a sua agenda Brincante:
25/09 a 28/09 – DANÇA | OFICINA – Uma Linguagem Brasileira de Dança com Rosane Almeida
De terça a sexta-feira, 14h00-16h30
duração total: 10 horas

25/09 a 28/09 – POESIA | OFICINA – Tirando Versos na Rima com António Nóbrega
De terça a sexta-feira, 17h00-19h30
duração total: 10 horas

29/09 – DANÇA | AULA-ESPECTÁCULO – Com Passo Sincopado com António Nóbrega
Sábado, 22h00

30/09 – DANÇA/MÚSICA | AULA-ESPECTÁCULO – Mátria com António Nóbrega
Domingo, 16h00

Não se esqueça que, apesar de estar em pausa esta semana para o Instituto Brincante ocupar o palco, no TCSB voltou a estar em cena uma das melhores produções d’A Escola da Noite – “TOMEO Histórias Perversas” (próximas subidas ao palco de 03/10 a 07/10 e de 10/10 a 14/10). Uma Escola e um Teatro que são um só e que juntos são, indubitavelmente, uma casa onde tão bem se está, em Coimbra.
Rume ao Teatro e deixe-se levar pelo Instituto Brincante e por Tomeo (em Outubro). •

+ A Escola da Noite
+ TCSB
+ Instituto Brincante
© Fotografia: António Nóbrega por Silvia Machado.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.