EXPERIENCE, PORTUGAL, TRAVEL 0

O “Verão Azul” está de volta, desta vez, no Alentejo / Herdade do Touril

Quem não se recorda da emblemática série do país vizinho exibida na década de 1980 da televisão portuguesa? Pois bem, basta pegar numa das bicicletas disponíveis nesta propriedade de turismo rural e partir à descoberta da fauna e da flora da Costa Vicentina. Para outros basta, certamente, renderem-se aos passeios pedestres, às praias, à fruição do tempo sem pressas e, claro, à tipicidade dos sabores regionais à mesa.
Há 17 anos nascia a Herdade do Touril, no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

Há cinco gerações nas mãos da família do pai de Luís Falcão, o actual proprietário, a Herdade do Touril, com 365 hectares e uma localização privilegiada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina é, em 2002, um sonho tornado realidade. No início, havia apenas duas casas. A casa principal foi construída de raiz. Ambas somavam nove quartos. Dois anos volvidos, eram restauradas outras três: a do Feitor, a do Rendeiro e a do Pastor. Tudo com a assinatura do arquitecto Thiago Braddell. 

A vontade de evoluir no mercado do turismo levou ao fecho de portas temporário desta unidade, entre finais de 2017 e meados de 2018, período durante o qual foram remodelados os interiores das casas e exteriores da propriedade. “Queríamos posicionar a Herdade do Touril na linha da frente”, esclarece Luís Falcão. O apoio da arquitecta Joana Borges de Carvalho foi notável.

Vamos a um passeio?

Os meses em que o clima é mais ameno são os mais procurados para as caminhadas e os passeios de bicicleta em família e em grupo

Os mostradores dos quatro relógios dispostos na recepção da Herdade do Touril tem uma particularidade que suscita a curiosidade de quem chega a esta propriedade pela primeira vez. Por que razão apenas um mostra os ponteiros parados? Já iremos à resposta.

Os passeios de bicicleta integrados, desde o ano passado, na lista das actividades da Herdade do Touril é, antes de mais, um óptimo pretexto para os amantes da natureza e apreciadores de “biclas” elegerem esta propriedade como ponto de partida para explorar a costa Sudoeste do país. A maioria escolhe os meses de Abril e Maio, Setembro e Outubro, para os passeios, isto é, quando o clima fica mais ameno.

Pelo percurso escolhido vão arranjar, certamente, tempo para se deixarem conquistar pela diversidade da fauna e a flora ou explorarem e analisarem ao pormenor, pois nunca se sabe se, entre os hóspedes, há um biólogo ou um viciado em observação de aves.

A Barca Tranquitanas é uma das referências da restauração locais para uma refeição tranquila

Ou desfrutar, simplesmente, do ar puro e do sol de Verão tão apetecível durante as “férias grandes”, com uma pausa no restaurante A Barca Tranquitanas, localizado em Entrada da Barca, na Zambujeira do Mar, onde o peixe e o marisco frescos, fazem as honras da casa e na grelha, sem descurar a carne nem o receituário alentejano.

A Costa Vicentina “presenteia” quem a percorre com paisagens apaziguadoras

Há quatro percursos à escolha, tanto para os passeios de bicicleta, como para as caminhadas. O mais fácil estende-se entre a aldeia de Cavaleiro e a herdade; os mais difíceis têm a praia de Almograve, a praia de Odeceixe e a Azenha do Mar como destino. A iniciativa está associada à parceria estabelecida entre a Herdade do Touril e a Rota Vicentina, rede de percursos de trekking e cycling com três itinerários: o Trilho dos Pescadores, o Caminho Histórico e os Percursos Circulares. 

Há praias que vale a pena explorar…

Por isso, este turismo rural dispõe, desde 2018, de bicicletas eléctricas, tanto de BTT, como de estrada. Além de uma oficina de bicicletas, onde os hóspedes podem guardar as suas ou consertá-las caso seja necessário. Antes de se fazer ao caminho, reserve o serviço de piquenique na véspera do passeio, para melhor desfrutar da paisagem ou consulte o mapa entregue na recepção, no qual estão os espaços de restauração das redondezas recomendados. Aproveite, ainda, para desfrutar dos areais e das águas do Atlântico.

Doses generosas de sabores alentejanos

Os produtos da terra e do mar servidos à mesa da Herdade do Touril conferem a parceria com a afamada Tasca do Celso

Por falar em comida, a Herdade do Touril mantém, há cerca de um ano, uma parceria com a famosa Tasca do Celso, em Vila Nova de Milfontes. No início, esta dupla funcionava apenas no bar da piscina, com sugestões para refeições leves. Por isso, entre preguiçar na relva e as braçadas na piscina de água quente salgada, há uma terceira escolha que dá igualmente prazer, mesmo no Verão, como os sumos naturais, os batidos detox e os cocktails, as saladas, as sandes, os petiscos, entre outros, e sem esquecer a carta de vinhos. A garantia de que o essencial dos sabores alentejanos está lá é dada por Luís Falcão, até porque o bar da piscina abrirá em breve.

A sala de jantar é uma das últimas novidades deste turismo rural alentejano

Até lá, fique pela oferta gastronómica alentejana da cozinha da Tasca do Celso servida às mesas da sala de jantar da Herdade do Touril.

O pequeno-almoço estende-se até às 12 horas

Este mesmo espaço é utilizado também durante a primeira refeição da manhã, onde o terraço é de eleição para um romântico jantar à luz das velas ou um pequeno-almoço, mesmo tardio, já que este se estende até às 12 horas.

A horta biológica desta propriedade está em boas mãos

Uma parte dos produtos são biológicos e colhidos na horta da herdade, supervisionada diariamente pelo senhor António e o senhor Fernando, uma vez que a ligação à terra foi um dos três objectivos traçados por Luís Falcão aquando da remodelação de há um ano.

Todas as noites varia o Menu do Chef, constituído por entrada ou sopa, prato de carne ou de peixe, e sobremesa. A carta apresenta seis petiscos à escolha, duas opções de carne e outras tantas de peixe, e as sobremesas. Tudo em doses generosas. A carta vínica é predominada por referências alentejanas. 

De fora para dentro

O traço alentejano é característica invariável no exterior das casas

Ainda sobre a remodelação O azul e o amarelo das barras, no exterior, conferem a imagem do traço alentejano. Já os tons dos interiores foram o ponto de partida para a escolha das cores dos elementos decorativos associados, por sua vez, a peças de mobiliário em madeira. Os materiais utilizados localmente fazem, agora, parte de cada divisão, como o mosaico hidráulico, a tijoleira manual e a cortiça integrados na arquitectura. 

O amarelo e o azul ditam as cores do Verão

A tradição estende-se aos bancos de ordenha e aos cochos de cortiça, que saltam à vista em cada recanto, bem como moldes em madeira usados na feitura dos sapatos ou as peças de cortiça dispostas acima da lareira da sala comum, onde está o friendly bar, desta feita, numa típica vitrine das antigas mercearias a servir, igualmente, de biblioteca.

Os tons e a decoração minimalista dos quartos confere o bom gosto, sem descurar o conforto

Sem esquecer a luminosidade de cada quarto (18), cada um com o seu terraço, para desfrutar da privacidade devida, da generosidade do sol e dos aromas das plantas, a somar à contemporaneidade dos sofás, dos porta-livros e dos candeeiros, de cada detalhe da sala comum, repartida em três espaços e contígua a um tranquilo alpendre com vista sobre a piscina.

Ao fundo desta encontra a lareira exterior construída em betão e rodeada por dois bancos de forma arredondada. Perfeito para contemplar as estrelas do céu alentejano, mesmo nas noites frias, sem pressas. Há quem diga mesmo que, por aqui, o tempo pára…

É ir! Boas férias!

+ Herdade do Touril
© Fotografia: João Pedro Rato
+ Agradecemos à Lexus o apoio na realização desta viagem, com o modelo Lexus UX250h

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

You Might Also Like

No Comments

Leave a reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.