Vasco Lello fez par com Nuno Bandeira de Lima

O responsável pela cozinha do restaurante Sea Me – Peixaria Moderna foi cozinhar, no dia 10 de Fevereiro, ao Infame, a convite do chef de cozinha deste restaurante do Hotel 1908, no âmbito da iniciativa “O chef faz par”. E valeu a pena!


“Mi casa es su casa”. Bem que poderia ser este o slogan desta iniciativa com a chancela do Infame, o restaurante do n.º 4, do Largo do Intendente Pina Manique, em Lisboa, já que o chef Nuno Bandeira de Lima abre, quase todas as segundas-feiras, até 30 de Março, as portas das suas cozinhas a cozinheiros que dominam várias cozinhas do mundo. 


Vieira curada, gamba branca e alho porro


Desta vez, vamos falar acerca do jantar do chef Vasco Lello ao longo do qual o peixe e o marisco assumiram protagonismo durante o desfile de pratos. A somar à evidente utilização de várias técnicas e influência da cozinha asiática no picadinho de atum, shiso e amêndoa – que, segundo Vasco Lello, poderá vir a fazer parte da carta do Sea Next Door, o próximo projecto do SeaMe Group a iniciar entre Março e Abril –, ou do receituário peruano, na vieira curada, gamba branca e alho porro servido com leite de tigre.


Enguia braseada, abóbora e pickles


A enguia braseada, com a abóbora e os pickles, foi prato cuja composição resultou na perfeição. Assim como a garoupa acompanhada pelo tutano e pela ostra, sem confusões nem sobreposições no prato. 


Corvina com molho X.O.


No alinhamento dos peixes, chegou a vez da corvina com molho X.O. que, sem aguardente, foi feito, essencialmente, com óleo de palma e cachaça, sem esquecer as vieiras, neste caso, fermentadas para integrar na composição deste preparado líquido com origem na cozinha oriental.


Amêndoa, tangerina e alface do mar


Para fechar ramalhete de sabores marinhos, com a intensidade dos sabores a aumentar gradualmente a cada prato servido no jantar, Varco Lello levou à mesa o bolo de amêndoa com gelado de tangerina e alface do mar.

A quem não conhece, cheguemos à vez da apresentação do chef, de raiz alentejana e formação a Escola Superior de Turismo do Estoril. No seu percurso cabem a Bica do Sapato, com os chefs Fausto Aroldi e Paulo Morais a desempenharem o papel principal, o Valle Flor, o restaurante do Pestana Palace, na altura com o chef Aimé Barroyer, o Flores do Bairro, espaço de restauração do então Bairro Alto Hotel, o Café Príncipe Real, no Memmo Príncipe Real, e o, agora, Sea Me.

Fica, assim, aberto o apetite para os próximos jantares do “O chef faz par” realizados em ambiente descontraído e intimista do Infame. 


+ Infame
© Fotografia: João Pedro Rato

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.