Soalheiro: a reinvenção de um clássico mais “amigo do ambiente”

Menos vidro, mais pequena, mais leve. Eis os atributos da nova garrafa da colheita de Alvarinho de 2020 de um dos mais emblemáticos produtores vínicos da Região Demarcada dos Vinhos Verdes.

Sustentabilidade. A palavra “rima” com a iminente necessidade de desenvolver estratégias que fomentam a implementação de boas práticas inerentes a atividades económicas e industriais, de forma a preservar os recursos naturais e o meio ambiente sem comprometer as necessidades do presente e do futuro. 

O mesmo vocábulo combina com a filosofia da Soalheiro, produtor da sub-região de Melgaço, na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, que pôs no mercado uma garrafa com menos 19 por cento de vidro do que a usada anteriormente – mais alta e esguia para guardar o seu vinho clássico feito a partir da casta Alvarinho. Esta acção permite a redução das emissões de carbono aquando da produção da garrafa, a qual se repercute não só na redução de peso aquando do seu transporte, mas também no facto deste recipiente ser fabricado em Portugal. Logo, o novo formato, agora reduzido, torna a garrafa mais prática para guardar em casa. “A nova garrafa foi desenvolvida em exclusivo para o Soalheiro e será estendida a 90 por cento das referências a partir do momento em que são lançadas no mercado”, de acordo com o comunicado da Soalheiro.

Ademais, a quantidade de cartão utilizado nas embalagens, proveniente de florestas cuja gestão é feita de modo sustentável, teve uma redução de 39 por cento. Acresce “a recente instalação de uma cobertura vegetal na adega, que trará uma poupança energética estimada em 26 por cento ao ano”, segundo o mesmo comunicado, além da certificação biológica das vinhas da Soalheiro que, por sua vez, propicia a produção de vinhos naturais biológicos.

De volta ao Soalheiro Alvarinho 2020 (€9,50), é de salientar a sua intensa frescura aromática e a sua longevidade em garrafa, perfeito para acompanhar marisco, pratos de peixe ou de carnes de aves ou, simplesmente, para degustar como aperitivo. A experimentar em casa ou in loco, isto é, na Soalheiro e na Quinta de Folga, onde a família Cerdeira recebe os visitantes de forma singular, sem descurar a imperdível experiência gastronómica à mesa, com produtos da horta e regionais cozinhados a preceito.

+ Soalheiro
© Fotografia: João Pedro Rato

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.