“Luzes, Rabanadas, Acção” desafia os mais novos a pôr a mão na massa / Lumen Hotel

Até ao dia 9 de Janeiro de 2022, há workshop de cozinha para crianças, no Clorofila, o restaurante desta recente unidade de alojamento da cidade de Lisboa, projectada sob a assinatura do arquitecto Frederico Valsassina. Mas há mais para descobrir!

Do Pátio Fotossíntese são visíveis as linhas rectas deste edifício criado de raiz pelo traço do arquitecto Fredrico Valsassina

O restaurante Clorofila, do Lumen Hotel, no n.º 20 da Rua Sousa Martins, em Lisboa, é palco de “Luzes, Rabanadas, Acção”, actividade reservada a crianças dos seis aos 12 anos, que, durante as 16h00 e as 18h45, vão confeccionar uma entrada, prato principal e sobremesa, de acordo com as indicações do chef Celso Dias. A temática desta acção culinária é, claro está, o Natal, mas as receitas só serão desvendadas no momento. Os trabalhos são realizados na sala VIP do referido espaço de restauração e concluídas pelo chef, na cozinha.

Esta iniciativa gastronómica decorre até ao dia 9 de Janeiro (excepto nos dias 24, 25 e 31 de Dezembro, e 1 de Janeiro), seguindo-se um jantar, com bebida de boas-vindas, a que se juntam os pais. A ideia é que todos se reúnam na mesa comunitária, com capacidade para cerca de 20 pessoas, disposta no espaço contíguo à sala VIP, mas há a possibilidade de se escolherem mesas separadas.

A trouxa de queijo, o bacalhau e as rabanadas confeccionadas pelos mais novos

Ao longo da refeição, os pratos elaborados pelos pequeno cozinheiros, no workshp (€20, por criança, e €35 pode adultos) são apresentados aos respectivos pais, o que vai dar origem a momentos bem divertidos! As reservas para o “Luzes, Rabanadas, Acção” podem ser efectuadas através de info@restauranteclorofila.pt ou através de 210 547 416 ou do site www.restauranteclorofila.pt.

O Natal é a temática de um dos espectáculos de video-mapping projectado nas paredes sustentadas pelos contrafortes do Pátio Fotossíntese

Entretanto, a partir das 19h00 até às 21h30 – com intervalos de meia-hora – é projectado, nas paredes do Pátio Fotossíntese – o pátio interior do Lumen Hotel – o espectáculo de video-mapping natalício da Vortice Dance Company. Este momento artístico combina som e luz, transportando todos à magia do Natal.

Lisboa vista através de uma criação artística cheia de luz e cor

Às 22h00, chega a vez do video-mapping intitulado “The Lisbon Light Show”, numa alusão à luz de Lisboa, temática explorada pelo Lumen Hotel e que “vai mudando ao longo do dia” no interior do edifício, segundo Sérgio Bernardo, director desta unidade de quatro estrelas.


A luz de Lisboa

A luz é constante nos espaços interiores do Lumen Hotel

O aproveitamento da luz natural é, por conseguinte, o tema central do Lumen Hotel, cujo projecto de arquitectura está assinado por Frederico Valsassina. Contemporâneo e sóbrio, o edifício é profuso em paredes de vidro, para aproveitamento da luz da cidade de Lisboa, privilegiada no seu interior. Aqui, é de enaltecer o contributo dos arquitectos Nuno Gusmão, do Atelier 06, e Bárbara Neto, da Lemin Variance.

Responsável pelas áreas comuns, Nuno Gusmão traçou, a régua e esquadro, todos os espaços que abrangem o piso térreo e o inferior. Desde o lobbie, passando pela zona do Bar 6°, contíguo à recepção, onde o tom laranja sobressai do painel de cerâmica, os cortinados de Burel recortados e a parede envidraçada, com vista para o pátio interior – predominado pelo verde das plantas em consoância com o cinza dos contrafortes e os espelhos de água, é um pequeno oásis a céu aberto –, complementam o cenário.

Vista sobre o casario da cidade de Lisboa, no Ora d’Oro Rooftopo Bar & Pool

No topo do edifício, está o Ora d’Oro Rooftopo Bar & Pool, espaço exterior aberto, desde 1 de Maio a 31 de Outubro, apenas para hóspedes, desde que o tempo esteja de feição, já que os mergulhos na piscina – de água aquecida através do sistema de painéis fotovoltaicos, cuja energia é aproveitada para outras finalidades, no hotel – rimam melhor com dias soalheiros.

As tonalidades cinzentas, nos quartos, são alusivas à chegada da noite

Nos quartos, onde a decoração tem o cunho de Bárbara Neto, há, pelo menos, uma parede envidraça, que privilegia a vista sobre o casario da cidade ou o Pátio Fotossíntese. A paleta eleita é composta pelos tons amarelados, que reflectem as cores do nascer do dia; pelos laranja e vermelho, as cores quentes que remetem para o final de tarde; ou pelos cinzentos, alusivos à chegada da noite.

A arquitecta quis, ainda, mostrar a sua aptidão criativa, através do desenho dos candeeiros de pé, que integram na decoração dos quartos. A mesma assinatura estende-se às cabeceiras das camas super king size, aos armários e às secretárias. A luz é, em todos os espaços, o fio condutor agregado à temática do Lumen Hotel. 

Sérgio Bernardo chama a atenção para mais um pormenor nos espaços destinados ao repouso: os detectores de presença. O objectivo é “não gastar energia desnecessariamente”. Além disso, os quartos dos dois primeiros pisos têm o pavimento revestido a alcatifa, enquanto o dos restantes andares – até ao sexto – é em pavimento vinil flutuante.


Partilha à mesa do Clorofila

A decoração minimalista é contígua a todos os espaços, aqui com especial destaque para o restaurante Clorofila

O restaurante Clorofila, tomado pelo verde e pelo castanho, tons eleitos por Nuno Gusmão, numa homenagem à natureza, ou também não fosse o chef Celso Dias – cozinheiro há 27 anos – adepto do aproveitamento de cada ingrediente, em nome de uma cozinha mais sustentável. “Faço o aproveitamento de quase tudo, porque quase tudo é comestível”, afirma no momento em que serve as cascas de batata-doce e de batata convencional, que acompanham os slidders de lagostim. “Também desidrato a salsa, bem como a casca de curgete, de pepino, de cenoura…” 

A prova pode ser feita ao almoço, momento em que é servido um buffet (€15 por pessoa, sem bebidas), e ao jantar, altura do dia em que é possível escolher os pratos da carta, sendo a louça igualmente diferente, desta feita, em grés de tons castanho e verde.

Creme de queijo fresco com caril, argolas de cebola fritas e molho de iogurte grego e cebolinho, para abrir o apetite

As sugestões desta lista começam pela tríade do couvert e prossegue com duas mãos cheias de opções vegetarianas, como os pimentos padron salteados ou a trilogia fresca de saladas tradicionais, bem como outras inscritas mais à frente, na carta, como o mil folhas de legumes gratinados, o linguini de curgete ou o caril de tofu. Em contrapartida, é de provar os sonhos de alheira de Mirandela, a selecção de cogumelos selvagens, com porco alentejano e ovo Bennedict ou os tacos de barriga de porco alentejano, com couve roxa, por exemplo. 

Pica-pau de atum e pato confitado desfiado são pratos a escolher na carta

Do mar para a mesa, fica a recomendação do pica-pau de atum, com pickles agridoces e areia de azeitona, mas há travesseiro de bacalhau lascado, com batata recehada, couve pack choi corada e azeite virgem corado ou a caçarola de arroz malandrinho de garoupa. 

Já o pato confitado desfiado com arroz carolino confeccionado, como se de um risotto se tratasse, é a opção a ter em conta nos pratos de carne, mas o porco alentejano, com cerveja artesanal, mostarda e coentros é de experimentar, assim como o costeletão de novilho, batata pont-neuf e espargos bravos.

Os mais novos podem ser contemplados com tacos, o hambúrguer do chef, peixinhos panados ou esparguete de salsicha perfumada, com bacon, fiambre e queijo gratinado.

Leite creme queimado e sorvete de Mojito, para sobremesa

Terminemos, com o leite creme queimado à mesa e servido com sorvete de Mojito e crumble de bolachas de chocolate ou a tarte de figo, com gelado de requeijão, mel e nozes. A elegância de chocolate e tiramissu, com ganache e pó de pistácio é ideal para os muito gulosos, até porque há fruta e, ainda, o queijo assado com marmelada e quenelles de arroz doce.

A partilha faz parte do conceito implementado pelo chef Celso Dias, para quem “as pessoas aqui não são nossos clientes, são nossas convidadas”.

É ir!


+ Lumen Hotel & The Lisbon Light Show
© Fotografia: João Pedro Rato

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.