Festival de Jazz Bernardo Sassetti

A primeira edição do Festival de Jazz Bernardo Sassetti, criado e organizado pela Casa Bernardo Sassetti, vai acontecer no próximo mês de julho, na cidade de Loulé. Este será um festival itinerante que acontecerá, todos os anos, numa cidade diferente do País.

Durante quatro dias será possível assistir a diversos concertos de músicos reconhecidos do Jazz como Salvador Sobral, Rebecca Martin – cantora americana que já gravou discos com músicos como Paul Motian e Larry Grenadier-, Orquestra Jazz de Matosinhos, Mário Barreiros, Mané Fernandes, Daniel Bernardes, entre outros artistas. Além disso, a programação contará ainda com quatro Jam Sessions diárias ao longo da semana – a primeira a acontecer no arranque do festival – com músicos diferentes a abrir cada uma delas. No último dia, 31 de Julho, será ainda anunciado o vencedor da 4ª edição do Prémio de Composição Bernardo Sassetti.

Este evento conta ainda com uma componente formativa através de um workshop associado ao Festival, direcionado para jovens músicos dos 13 aos 18 anos, que terá início no dia 25 de Julho, em horário laboral, e contará com a Direção Pedagógica do pianista Daniel Bernardes.* O festival será realizado em colaboração com o já conhecido Loulé Jazz e terá o apoio de todo o município, incluindo a Câmara Municipal de Loulé, a Casa da Cultura de Loulé, o Cineteatro Louletano e o Conservatório de Música de Loulé.

Este festival é a concretização de uma ideia de há muito tempo para homenagear o Bernardo e todo o trabalho que construiu. Com este evento, além de conseguirmos continuar a promover a música Jazz em Portugal, contribuímos também para o aumento da formação nesta área. Tal só é possível através de todo o apoio municipal e da colaboração do Loulé Jazz que gentilmente cedeu o seu evento para podermos realizar aquele que acreditamos que será o primeiro Festival de Jazz Bernardo Sassetti de muitos”, sublinha Inês Laginha, Diretora Artística da Casa Bernardo Sassetti.

O primeiro Festival de Jazz Bernardo Sassetti conta com características centrais que o distinguem dos outros. Por um lado, o facto de ser itinerante garante que cada edição anual decorra numa cidade diferente, envolvendo a totalidade do município como a autarquia, o teatro local, o conservatório e músicos de jazz da região em causa.

Por outro, o Festival terá sempre uma forte componente formativa a decorrer na semana que antecede os dias de concertos, destinado aos mais jovens que estejam a dar os primeiros passos no Jazz. Para esta importante parte do Festival, contar-se-á com o envolvimento do Conservatório local, fulcral para garantir disponibilidade de salas e instrumentos. Como conclusão dos mesmos, no decorrer do Festival haverá o concerto de apresentação para os alunos do curso, bem como a apresentação em concerto pelos músicos/professores que lecionaram, que serão desafiados a tocar música de Bernardo Sassetti.

Programação do Festival:
28/07 – Jam Session – Clara Lacerda Trio
29/07 – (Cerca do Convento) – Mário Barreiros Quarteto
29/07 – (Cerca) – Salvador Sobral – bpm
29/07 – Jam Session (Bafo de Baco – bar) – Hugo Lobo Trio
30/07 – (Cerca) – Mané Fernandes Trio
30/07 – (Cerca) – Rebecca Martin com Orquestra Jazz Matosinhos
30/07 – Jam Session (Bafo de Baco – bar) – Guilherme Fradinho Trio
31/07 – (Cerca) – Daniel Bernardes toca Bernardo Sassetti
31/07 – (Cerca) – Trio Jazz Loulé
31/07 – Jam Session (Bafo de Baco – bar) – Léo Vrillaud Trio
*Inscrições através do email: casabernardosassetti@gmail.com.

Sobre a Casa Bernardo Sassetti:
A Casa Bernardo Sassetti foi criada em 2012, pouco depois da morte do pianista, com o objetivo de preservar e divulgar o espólio do artista, que atravessa a música e a fotografia. Está já inventariado, catalogado, registado, digitalizado e preservado, contando com partituras, gravações, fotografias, filmes e outros documentos. Num segundo plano, a associação trabalha de forma a promover e apoiar artistas emergentes, quer em Portugal, quer no estrangeiro. Sassetti dizia que compunha fruto de uma imaginação interior “indescritível”. Da repetição era construído o raciocínio e crescia o improviso. A missão desta associação, apoiada pela Direcção-Geral das Artes, é dar continuidade à edição de registos inéditos de Bernardo Sassetti, bem como investir na formação de jovens músicos e criar o seu próprio espaço.

Se estiver por Loulé é a não perder, neste verão. E este festival, um festival a ter sempre na mira. •

+ Casa Bernardo Sassetti

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.