Arooj Aftab / CCVF

A premiada Arooj Aftab regressa a Portugal para concerto único no Centro Cultural Vila Flor (CCVF), em Guimarães.

Contando já com um galardão (2022) e três nomeações nos Grammy Awards (a última na edição de 2023), a artista com origem paquistanesa com carreira desenvolvida nos Estados Unidos, e atualmente baseada em Nova Iorque, apresenta-se ao público no maior auditório do CCVF, a 04 de julho, às 21h30, após um ativo período com profícuas criações e colaborações musicais. Em Guimarães, a voz daquela que já foi apelidada de fenómeno do Oriente faz-se acompanhar do músico e compositor norte-americano Gyan Shankar Riley, com a guitarra acústica deste preparada para se misturar com o perfume e vibração das declamações de Arooj.

Filha de pais paquistaneses expatriados na Arábia Saudita, aos 10 anos Arooj Aftab voltou para a sua cidade natal, Lahore, no Paquistão, e lá aprendeu de forma autodidata a tocar guitarra, enquanto se aventurava a cantar ao ouvir Billie Holiday, Hariprasad Chaurasia, Mariah Carey e a descobrir outras grandes intérpretes de jazz, mas também nomes como Jeff Buckley, a sua compatriota Abida Parveen e até a cantora e atriz indiana Begum Akhtar, o tablista Zakir Hussain e o flautista Hariprasad Chaurasia. O seu som flutua entre o minimalismo clássico e a nova era, poesia devocional sufi e trance eletrónico, estruturas de jazz e estados de puro ser. A sua veia poética não esquece figuras como o espirituoso Rumi (1207–1273) ou o poeta inidano Mirza Ghalib (1797–1869), utilizando o estilo poético oriental ghazal, que invoca histórias de grande profundidade emocional, com reflexões existenciais profundas e apaixonadas. 

No trilho do seu trajeto, foi divulgando a sua música e as suas interpretações de músicas locais através da Internet e dessa forma criou uma falange de admiradores significativa, mesmo depois de ter emigrado, com 19 anos, para os Estados Unidos, onde estudou produção musical em Berklee e, depois de Boston, seguiu para trabalhar em Nova Iorque.  

O crescente sucesso do seu trabalho tem sido particularmente notório desde o lançamento do álbum “Vulture Prince” (lançado em 2021 através da New Amsterdam Records) que, para além de figurar nas principais listas internacionais de melhores álbuns de 2021 e apresentações no Tiny Desk e KEXP, lhe valeu ainda um Grammy recebendo elogios sem precedentes da crítica. 
A cantora e compositora ganha assim em 2022 o prémio de Melhor Performance de Música Internacional pela sua canção “Mohabbat” nos 64º Grammy Awards, tornando-se assim a primeira artista paquistanesa a ganhar um Grammy. 

“Bird Under Water” foi o primeiro álbum de Arooj, lançado em 2014, tendo sido declaradamente aclamado pela crítica. Trabalhou como editora no documentário “Armed With Faith” (2017), tendo ganhado um Emmy Award em 2018. “Siren Islands” foi o seu segundo álbum lançado em 2018, pela New Amsterdam Records, e, mais uma vez, apreciado pela crítica onde fez parte da lista “As 25 melhores músicas clássicas de 2018” pelo The New York Times. Já o segundo álbum de estúdio, “Siren Islands” (2018), identifica-se como um lugar menos devocional e mais elétrico. 

O seu mais recente lançamento, “Love in Exile” (2023), conta com a colaboração de parceiros musicais como Vijay Iyer – compositor e pianista norte-americano (baseado em Nova Iorque) de ascendência indiana que visitou este mesmo palco vimaranense no Guimarães Jazz 2022 – e Shahzad Ismaily – músico, compositor e produtor nascido nos Estados Unidos (e atualmente também baseado em Nova Iorque) e com ascendência paquistanesa, tem já um extenso percurso de aprendizagem em países como Paquistão, Índia, Turquia, México, Japão, Indonésia, Marrocos e Islândia. 

A não perder, em Guimarães. •

+ CCVF
© Fotografia de destaque: Arooj Aftab, DR.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.