Álbum + Concertos / Rodrigo Leão

Na música nacional há boas notícias e boas surpresas a caminho: Rodrigo Leão prepara um encontro com a Orquestra & Coro Gulbenkian, num álbum.

O próximo projeto de Rodrigo Leão carrega toda a ambição que o músico nunca escondeu ter: a ambição que lhe permitiu abraçar o mundo e projetos artisticamente muito complexos. Agora, há um encontro programado com a Orquestra Gulbenkian, cujos cerca de 100 músicos, incluindo o coro, serão dirigidos pelo maestro Rui Pinheiro. Este encontro terá também a participação do ensemble que, normalmente, acompanha Rodrigo Leão – o quarteto de cordas formado por Carlos Tony Gomes, Bruno Silva, Denys Stetsenko e Viviena Tupikova e ainda Celina da Piedade no acordeão e Selma Uamusse na voz. Um luxo, na música.

Juntos, estes músicos irão gravar o sucessor de “A Montanha Mágica” (2011). As recolhas de canções, bandas sonoras e projetos paralelos em que Rodrigo Leão se tem inevitavelmente envolvido, como o recente e encantador “Florestas Submersas”, realizado a convite do Oceanário de Lisboa, têm permitido ao compositor explorar outras facetas importantes do seu trabalho, mas o novo álbum, que será gravado por Tobias Lehmann, responsável por muitos títulos no conceituado catálogo da Deutsche Grammophon, no palco do Grande Auditório Gulbenkian – detentor de uma acústica absolutamente extraordinária – marca não só um novo ciclo na carreira do músico, que acaba de assinar contrato com a editora Universal, como o seu reencontro com material original. E, sobretudo, marca a ambição da sua singular visão artística. Com a colaboração de Steve Bartek, arranjador de renome com que Rodrigo Leão colaborou na banda sonora de “The Butler”, o compositor assina aqui uma série de trabalhos inéditos em que se debruça sobre importantes questões filosóficas que se prendem com a procura do sentido da vida e de um lugar no mundo, temas que sempre estiveram presentes nas entrelinhas das criações de Rodrigo Leão e que são uma das suas principais fontes de inspiração. As melodias que Rodrigo sonha e constrói são os tratados que oferece ao mundo que o rodeia. Carlos Tony Gomes é outro dos responsáveis por arranjos para a orquestra ao passo que Tiago Derriça assina alguns dos arranjos de vozes que o coro interpretará.

Este trabalho deverá chegar às lojas no final de outubro, para gáudio de todos, e será o corolário de um longo percurso e de muito trabalho que também se traduzirá em três aguardados e obrigatórios concertos com a Orquestra e Coro Gulbenkian no próximo mês de novembro – dia 18 no Coliseu do Porto e dias 20 e 21 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa. Os bilhetes para estes espetáculos estarão à venda desde o dia 15 de julho.

Os músicos que participam nos concertos serão exatamente os mesmos que gravarão o novo trabalho, para que a emoção do disco seja quase igual à do palco (onde a música ganha, sempre, novas asas além da gravação). Rodrigo Leão entende este seu novo projeto como uma obra que espelha uma visão filosófica da vida. É um disco de pensamento, de reflexão, de contemplação até, temáticas perfeitamente reflectidas nestas composições originais. Este é um passo importante para o músico que o resume como um disco que sempre quis fazer: “Carrego-o há muito no meu pensamento“, revela. Chegou a hora de o transformar em vida. Aguardemos serenamente e que chegue outubro para novos sons, deste grande músico, preencherem o nosso espaço. •

+ Rodrigo Leão
© Vídeo: Rodrigo Leão, “As Cidades”.
© Fotografia de capa: do vídeo Rodrigo Leão, “Voltar”.

Partilhe com os seus amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.