Programa completo: Lisboa Soa

E está prestes a chegar o 1.º encontro de arte sonora e cultura auditiva de Lisboa que levará à capital alguns dos mais interessantes artistas nacionais e internacionais para quatro dias de concertos, performances, instalações e workshops que vão levar o público a melhor ouvir o mundo.

O prometido é devido e voltamos a falar-vos do Lisboa Soa que se realizará entre os dias 01 e 04 de setembro, um encontro de arte sonora, urbanismo e cultura auditiva que se instalará no Jardim da Tapada das Necessidades com uma proposta inédita: escutar o mundo à nossa volta, tornando-o mais sustentável através da arte, da reflexão e do debate.

Este espaço único da capital será o palco para fruição de algumas das mais originais obras sonoras de alguns dos mais originais questionadores artistas da atualidade. Como é o caso de Marco Barotti que apresenta, pela primeira vez em Portugal, “Swans”, peça feita de antenas parabólicas que flutuam num lago transformando-se num pequeno bando de cisnes em movimento e em linha com a música, o vento e a água. Em conjunto com os altifalantes instalados, a ideia é provocar no espectador uma sensação de tempo familiar, ainda que peculiar, questionando o poder dos media mainstream. Imperdível.
Se nos virarmos para os criativos nacionais, terá João Bento a propor uma viagem sonora ao interior do Jardim dos Cactos explorando as suas características sonoras como se os habitássemos e escutássemos. Ainda também possibilidade de ver e experienciar “Becoming” da dupla @C; “Insono, O Ouvido Secreto das Plantas” da Sonoscopia ou “Inhabited Soundscapes” de Rudolfo Quintas. Como vê, um evento a estar em destaque na sua agenda.

As performances e concertos são também parte essencial do programa e pretendem partir do diálogo com o espaço onde se encontram. Ou haverá cidade sem música? Na Estufa Circular, poderá assistir à apresentação ao vivo, em formato trio, do design sonoro minimalista e multi-sensorial da aclamada artista Camille Norment, ouvir os sons terrenos mas etéreos do veterano japonês Akio Suzuki ou as deambulações electrónicas do português Rafael Toral. Maile Colbert e Rui Costa propõem o passeio sonoro “Park Past” para famílias dos 0 aos 80 com a premissa de discutir a importância do som e da escuta e de expressar os sons que ouvimos de forma criativa. “Uma Orelha no Jardim” é o workshop construído por Carlos Santos que através de um conjunto de exercícios que envolvem a escuta, a gravação e a componente plástica pretendem levar à descoberta de como descobrimos os lugares através do som.

Eis uma breve suma do que fará Lisboa Soa um momento ímpar na cidade de Lisboa, uma ideia e criação da investigadora Raquel Castro, profissional há muito dedicada ao estudo do som como parte essencial da identidade dos locais, realizadora do documentário “SoundWalkers”. Por fim, aqui fica o alinhamento completo “LISBOA SOA”:
01/09
17h00 – 20h00, Instalações no Jardim.
19h00, Allard van Hoorn (Performance).
20h00, Akio Suzuki (Performance).
02/09
10h00 – 20h00, Instalações no Jardim.
19h30, Camille Norment Trio (Concerto).
03/09
10h00 – 20h00, Instalações no Jardim.
14h30, “Uma Orelha no Jardim” com Carlos Santos (Workshop).
19h00, Rafael Toral (Concerto).
20h00, Phonopticon (Concerto).
04/09
10h00 – 20h00, Instalações no Jardim.
11h00 – 12h00, “Park Past” com Maile Colbert e Rui Costa (Passeio Sonoro).
18h45, Darkless de Rudolfo Quintas (Escultura Sonora e Performance).
19h00, “A que deve soar a cidade sustentável e acessível para todos?” – Mesa redonda.

Que tal para o primeiro fim-de-semana de setembro? Para mais informação é só clicar no link abaixo. •

+ Lisboa Soa
© Fotografia: “Swans” de Marco Barotti.

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.