Cuca Roseta / CCVF

O Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), em Guimarães, é palco para a antestreia do novo álbum da fadista Cuca Roseta.

Antecipando a saída do seu próximo álbum, “Riû”, a 18 de maio, Cuca Roseta subirá ao palco do CCVF desvendar, pela primeira vez, e ao vivo, alguns dos segredos deste seu terceiro trabalho, passando igualmente pelos temas mais marcantes da sua carreira.

Depois de um primeiro álbum homónimo, produzido pelo conceituado Gustavo Santaolalla, Cuca Roseta lançou um segundo trabalho, “Raiz”, onde escreveu e compôs a quase totalidade do disco. Agora, com o terceiro disco, atinge uma maturidade mais plena ao lado do produtor brasileiro Nelson Motta, que já trabalhou com Elis Regina, Marisa Monte e Daniela Mercury. Iniciando no Centro Cultural Vila Flor uma nova tour e depois de um ano cheio de sucessos e inúmeros concertos em Portugal e no estrangeiro, a fadista regressa a Guimarães para uma noite que promete ser inesquecível. Uma oportunidade única para escutar uma das mais marcantes vozes da nova geração do Fado.

Neste novo trabalho, Cuca Roseta, que tem no fado sempre a sua essência, explora outras influências que também a marcam enquanto artista. A cantora e compositora leva a sua sonoridade à música popular brasileira, à pop e à morna. Um encontro orgânico e harmonioso entre a canção portuguesa e a world music pela voz de uma das mais reconhecidas fadistas da nova geração. Este disco contou com a escrita e a composição de uma lista de nomes que são uma referência na música nacional e internacional como Jorge Palma, Sara Tavares, Júlio Resende, Mário Pacheco, João Gil, Jorge Drexler, Ivan Lins e Nelson Motta – uma mão cheia de nomes que todos sabemos. A fadista apresenta ainda dois temas originais compostos especialmente para ela por Bryan Adams ( o próprio) e Djavan, com quem gravou um dueto. Em “Riû”, Cuca Roseta volta a compor e escrever, como nos foi habituando nos trabalhos anteriores. “Tanto” e “Amor Ladrão” são assinados totalmente por si, cruzando também em outros temas os seus próprios poemas com novas músicas de grandes compositores.

Neste trabalho, Cuca Roseta surge com uma maturidade na criação artística, sem medo de correr riscos e inovar e sem nunca esquecer a sua origem, o fado, num cruzamento entre o clássico e o contemporâneo. “Riû”, nas palavras da artista, é “um disco alegre cujas letras positivas mostram o outro lado do fado – intenso mas esperançoso.

O produtor Nelson Motta parece rendido aos encantos da fadista: “A primeira vez que a vi e ouvi – no filme ‘Fados’, de Carlos Saura – fiquei encantado com seu canto preciso e emocionado, com seus arabescos mouriscos sem arestas nem excessos, e a graça de sua juventude e de sua beleza mediterrânea, dando uma nova voz e uma nova imagem ao Fado na era do audiovisual. A primeira vez com Cuca Roseta não se esquece.”. Há 10 anos que Nelson Motta estava afastado da produção, mas o desafio de trabalhar com uma artista como Cuca foi irresistível: “senti, com minha intuição e experiência, que estava diante de uma jovem artista muito talentosa, determinada e ousada, e que havia uma sintonia fina entre nós, que seria uma aventura venturosa navegar no mar desconhecido de um novo disco.

No próximo dia 02 de maio, às 22h00, não fique em casa, em Guimarães. Concerto a ir. •

+ CCVF
+ Cuca Roseta
© Vídeo: Cuca Roseta, “Fado Do Contra“.
© Fotografia: Direitos Reservados.

Partilhe com os seus amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.