Em concerto(s): Wim Mertens

Wim Martens, músico muito acarinhado pelo público português, regressa a Portugal em formato piano solo e voz para interpretar o tríptico “Cran aux Oeufs” (formado pelos discos “What are we locks to do”, “Charasktersketch” e “Dust of Truths”), obra que questiona as ligações entre a canção, a poesia e a verdade.

A música de Wim Mertens alimenta os mais fervorosos e por vezes até imprevisíveis cultos: Raymond Benson, um dos escritores responsáveis pelas continuadas sagas de James Bond, inclui uma referência à música do compositor belga na aventura do agente secreto britânico que levou o título de “High Time To Kill”, em 1999. O que faz pleno sentido, afinal de contas, mistério é o que não falta nas composições deste prolífico artista que já lançou mais de 60 títulos desde que se estreou em disco em 1980. Um músico com cartas mais que dadas e comprovadas.

Mertens já compôs para cinema, teatro e até para passagens de moda da prestigiada casa Dior. Tem, naturalmente pela qualidade superior do seu trabalho, uma carreira recheada de prémios e distinções, tendo inclusivamente sido nomeado para Embaixador Cultural da Flandres. Em Portugal, apresentará este novo espetáculo que tem merecido os mais veementes aplausos nas melhores salas da Europa, e que terá, garantidamente, em Portugal também. Eis as datas para tomar nota:
05/05 – Teatro Municipal, Guarda.
06/05 – Centro Cultural Olga Cadaval.
07/05 – Teatro Municipal, Faro.
13/05 – Theatro Circo, Braga.

A ir. A ouvir. A sentir. •

Wim Mertens
© Imagem de capa: pormenor do cartaz de divulgação.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.