Victor Villena na Casa da América Latina

Ainda não tem programa para sexta-feira, em Lisboa. Deixamos uma sugestão… Victor Villena apresenta-se em recital a solo – sob  título de “Um bandeneón em Paris” – na Casa da América Latina.

Considerado o melhor bandoneonista da sua geração, Victor Villena regressa à nossa capital para apresentar o seu disco a solo “Bandoneón Ecléctico”. O projeto foi lançado em 2013 e consiste numa compilação de compositores argentinos contemporâneos, que criam um diálogo ímpar entre o tango, a música contemporânea, o jazz e o folclore argentino. “Bandoneón Eclético” inclui peças originais de Gustavo Beytelmann, Daniel Binelli, Leonardo Sánchez, Sonia Possetti, Marcelo Mercadante e Fernando Otero. O disco foi já apresentado na Usina del Arte, Buenos Aires; na Sala Toccata en A, Madrid; na Embaixada da Argentina, em Paris; bem como em Taiwán (China), em Albi e Marsella (França), Rotterdam (Holanda), Krefeld e Klingenthal (Alemanha). Eis que é chegada a vez de ser ouvido, ao vivo, em Portugal.

Não é a primeira vez que Victor Villena sobe aos palcos de Lisboa. Em julho de 2007 dirigiu e foi o solista da ópera “Maria de Buenos Aires”, de Astor Piazzolla/ Horacio Ferrer, levada ao palco do Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, com seu quinteto “El Después” e os solistas da Orquestra Sinfónica Nacional de Portugal, tendo acompanhado a cantora Mísia, com quem já tinha gravado o disco “Drama Box” (2005). Nascido em 1979 na Argentina, Victor Villena estuda bandoneón desde muito cedo, com uns imberbes nove anos. Aos 17 foi eleito “bandoneón revelação” pela Academia Nacional del Tango em Buenos Aires. Ganhou também o Concurso Nacional da Argentina em 1997. Em 1999, deixou a Argentina para se instalar na França e a sua carreira continuou em solo europeu. Apresentou-se como solista com a Orquestra Filarmônica de Radio France, a Orquestra Sinfônica Pays de la Loire, a Orquestra Festival de Moritzburg (Alemanha), a Orquestra de Jazz de Estocolmo (Suécia), e a Orquestra de Jazz de Bruxelas (Bélgica). Entre 2003 e 2007 fez parte da tour mundial do lendário grupo de música eletrónica Gotan Project. Um curriculum que não deixa dúvidas algumas da excelência do músico que regressa agora a Lisboa, mas ainda há mais.

Em 2010 interpretou Sueños y deseos, de Leo Sujatovich, com a Orquestra Filarmônica da Radio France, que foi premiada com o Prémio France Musique- SACEM em 2010. Em 2012 criou, com Hemri Demarquette (violoncelo), Nemanja Radulovic (violino), Franco Braley (piano), o quarteto Arborescence. É, desde 2013, o bandoneonista oficial da cantora e atriz alemã Ute Lemper, com quem se apresenta nas principais salas de música do mundo: Philharmonie de París, Ópera de Frankfurt, o Royal Albert Hall. Participou na temporada 2016-17 da ópera contemporânea “L’ombre de Venceslao”, de Martin Matalon, apresentando-se em diversos teatros franceses.

Por tudo isto e porque música interpretada por virtuosos músicos é a não perder, neste 09 de março, pelas 21h30, rume à Casa da América Latina, em Lisboa. Não se vai arrepender. •

+ Casa da América Latina
© Fotografia: DR.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.