Vem por aí: Birds are Indie

Sintonizando na música nacional e nas novidades que se avizinham, para breve, falemos dos conimbricences Birds are Indie.

Primeiro, determinamos uma pausa, por estas bandas Mutantes, nas provocações em torno da ornitologia para esta trupe de Birds. Já o fizemos, claro. E muito. Todavia, a quem se apresenta com um single “Partners in Crime” só podemos recorrer a termos da criminologia nesta nota, sempre no bom sentido.

Depois do disparo de “How Music Fits Our Silence”, editado em 2012, e de roubarem os nossos ouvidos com “Love Is Not Enough“, de 2014, estes três Indies fora-da-lei, de Coimbra, preparam-se para atirar a matar (figurativo) com “Let’s pretend the world has stopped” – novo álbum de originais com data de edição prevista para o próximo dia 10 de março, com o selo da Murmürio Records.

© Vídeo: “Partners in Crime” – Birds are Indie, Antena 3

O single de avanço chama-se, como já dissemos acima, “Partners in Crime”. Na nota de imprensa que nos chega diz-se: “não podia ser mais que um conto delicodoce, uma espécie de manifesto-pop em que os Birds Are Indie dizem ao que vêm“. O Modus Operandi e assinatura destes fora-da-lei, ao primeiro single, parece-nos, numa breve avaliação psicocriminal, que estamos na presença de um crime meticuloso, que denota uma preparação organizada, com recurso a mais armas de arremesso (instrumentos, claro), onde a prática dos crimes anteriores se reflecte numa maturidade criminal onde a bateria denuncia o tal “manifesto-pop“, que tão bem lhes assenta. Pop que é retratada de forma indelével, diríamos mesmo reafirmada, pelo traço único de Corcoise – L Filipe dos Santos que, assim, acaba por se juntar ao mundo do crime, assinando o vídeo do single de apresentação. A delicadeza e o doce, estão claramente na lírica onde, sem pedir licença, afinal são parceiros de crime, dizem que nos vão roubar os corações. Esta bandidagem sabe tornar um roubo em algo com q.b. de doce, livrando-se do banco dos réus, para já…

Sem falsas denuncias, guardamos a reconstrução e reconstituição deste terceiro álbum para a data de edição do mesmo, pois a apresentação de provas, em sede de julgamento, exige que esmiucemos, primeiramente, o álbum. Desde já, estamos crentes que o desiderato de, mais uma vez, nos fazerem naturais reféns da sua música se irá concretizar… Aguardemos pelo julgamento, em março, e “Let’s pretend the world has stopped”.

P.s.: nos entretantos, deixe-se levar pelo novo single destes fora-da-lei. “Partners in Crime” é para ouvir e reouvir (e ver) pois o crime – que não é crime -, aqui, compensa. •

+ Birds are Indie
© Fotografia (pormenor): Birds are Indie por Francisca Moreira / Joana Corker.

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.