(re)Descobrir o Lumiar com outros olhos

Por ocasião do 750.º aniversário, e tendo a moda, a arte pública, o cinema, a educação e o urbanismo como temas centrais, a freguesia mais antiga da capital portuguesa será a residência oficial da 4.ª edição do LisbonWeek, com data marcada para a semana de 25 de março a 2 de abril de 2017.

Sob o mote “Cada bairro, uma cidade”, o Lumiar, a freguesia que reúne o maior número de habitantes de Lisboa, apresenta um valor patrimonial, arquitetónico e histórico de encher a vista. Tudo boas razões para (re)descobrir o Lumiar, desta feita, ao lado de José  Sarmento de Matos, olissipógrafo, que irá contar as histórias da história das quintas de veraneio de Lisboa, pois são muitas as que compõem a lista, como a Quinta dos Azulejos, a Quinta das Hortências, a Quinta do Monteiro-Mor e a Capela de São Sebastião, por exemplo.

A somar a este espólio vivo eis o Museu Nacional do Teatro, onde será criada uma ligação entre o traje de cena contemporâneo e a exposição apresentada no Museu Nacional do Traje e da Moda que, em 2017, celebra 40 anos, motivo pelo qual o LisbonWeek irá apresentar uma mostra sobre as últimas quatro décadas da moda contemporânea nacional com igual número de criadores envolvidos – ambos partilham o Parque Botânico do Monteiro-Mor, com mais de 250 espécies botânicas e outrora pertencente ao antigo núcleo agrícola desta zona de Lisboa.

No alinhamento dos espaços verdes, não nos esqueçamos do parque das Conchas, que integra a Quinta das Conchas e a Quinta dos Liláses, na mais recente intervenção da cidade, a Alta de Lisboa, objeto de debate de uma conferência presidida pelo arquiteto Manuel Salgado, que abordará também o projeto da Musgueira, bem como o plano de urbanização de Telheiras dos anos 70 do século XX.

Pelas ruas dos bairros da freguesia do Lumiar haverá, por sua vez, a consciencialização da arte urbana através de intervenções permanentes e, em paralelo, serão concretizadas ações de sensibilização no sentido de implementar a redução dos resíduos de plástico aos alunos do ensino público e privado das escolas e colégios locais, a qual será feita pela recolha de resíduos, que, a posteriori, irão esultar em instalações de arte pública realizadas pelos próprios.

No cinema será apresentado um ciclo de projeções em parceria com o Instituto do Cinema e do Audiovisual, sedeado nos antigos estúdios da Tobis Portuguesa, onde foram rodados alguns dos mais emblemáticos filmes do século XX português.

Afinal, cada bairro é uma cidade, daí a necessidade de descentralizar as atenções das zonas mais conhecidas de Lisboa e, deste modo, direcionar o olhar para lugares esquecidos por uns, desconhecidos por muitos e ignorados por outros.

Que tal a visita? A marcar na agenda. •

+ Lisbon Week

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.