Kurt Weill de Adriana Queiroz

E com o verão ao virar da esquina, falemos de um espectáculo que nos aquece com a viagem que Adriana Queiroz nos leva a fazer ao mundo do imenso Kurt Weill.

A obra de Kurt Weill será, novamente, interpretada por Adriana Queiroz, que estará acompanhada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, no Teatro Tivoli BBVA, no imperdível espectáculo “KW” (Kurt Weil).

“KW” é um concerto embrenhado no caleidoscópio musical de Kurt Weill, nos seus diversos universos como Alemanha, França e América. Kurt Weill, que viveu apenas até aos 50 anos – (1900-1950), soube criar em cada universo e para cada universo, de uma forma ímpar. Cremos, por exemplo, que o trabalho de Weill com Bertold Brecht na “Ópera dos Três Vinténs” lhe será bem familiar e saberá, tantas música na ponta da língua. No Tivoli BBVA propõe-se uma nova viagem que passará, garantidamente, por uma Alemanha com “Aufstieg und Fall der Stadt” (“Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny“, projeto realizado também com Brecht), “Mahagonny” e “Happy End”, não se esquecerá de França e das suas canções como “Complainte de la Seine” ou “Youkali” (esta deve lembrar-se, com toda a certeza, da interpretação de Teresa Stratas ou de Ute Lemper) e nem de uma América com “One Touch of Venus” e “Lost in the Stars” (teve, em tempos idos, uma bela interpretação de Judy Garland).
Depois haverá, certamente, os demais clássicos como “Alabama Song” (a interpretação de Lotte Lenya, mulher de Weill, dir-lhe-á algo, indubitavelmente), “Die Moritat von Mackie Messer“, ” Zuhälter-Ballade“,  “Der Bilbao Song“, “Das Lied von Surabaya Johnny“, “Der Song von Mandelay“,  “J’Attends un Navire“, “Buddy on the Nightshift“, “Speak Low“,  “I’m A Stranger here Myself“.

O espetáculo “KW” é também uma forma de repensar o mundo dissonante e encantador de Kurt Weill. É ser novo sem deixar de ser a genealidade de Kurt Weill, é a imaginação forte de Adriana Queiroz, artista que entrevistámos aqui, a respeito de um outro espectáculo seu.

Depois de “Ariadne” (2012), trabalho discográfico bem acolhido pelo público e pela crítica, e de “Tempo” – uma viagem à volta dos cantautores francófonos (Teatro Camões, 2013) – Adriana Queiroz mostra de novo em palco, com “KW”, que é uma intérprete completa, com figurinos assinados por José António Tenente.

Obrigatório ir, no dia 16 de setembro, no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. •

Adriana Queiroz
Teatro Tivoli BBVA
© Imagem: Pormenor do cartaz de divulgação.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.