Dezembro no TCSB

Quase no fim da primeira semana do último mês do ano, ainda vamos a tempo de vos apresentar a agenda de Dezembro do imparável Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), em Coimbra. O destaque recai, naturalmente, no regresso a Coimbra da companhia Tranvía Teatro (Saragoça, Espanha), o monólogo de Filipe Crawford e quatro imperdíveis Sábados para a Infância fazem a programação de Dezembro do Teatro da Cerca de São Bernardo. Na verdade, tudo no TCSB merece destaque.

Começando com artes de Espanha, a Tranvía Teatro é uma companhia de teatro profissional sediada em Saragoça (Espanha), onde é responsável pelo Teatro de La Estación, um dos mais dinâmicos pólos culturais da histórica capital aragonesa. O público de Coimbra lembra o espectáculo que trouxe ao TCSB em 2016 (“Sigue la Tormenta”) e poderá conhecer agora uma das suas mais recentes criações. “Reglas, Usos y Costumbres en la Sociedad Moderna” (“As regras da arte de bem viver na sociedade moderna”, na tradução publicada em Portugal), do dramaturgo francês Jean-Luc Lagarce, é um “percurso através das normas e das leis que definimos para viver ‘de maneira civilizada’ e que contribuem para estrangular a nossa existência”, afirma o grupo, destacando a “ironia” e o “humor” que pontuam todo o texto.
O espectáculo conta com a interpretação da directora artística da companhia, Cristina Yáñez, e é encenado por Aitana Galán. Para Coimbra estão marcadas duas apresentações, que terão lugar nos dias 12 e 13 de Dezembro, pelas 21h30 – (obrigatórias).
Também de regresso a Coimbra está o conceituado actor e encenador Filipe Crawford, um dos maiores especialistas em commedia dell’arte em Portugal. “A última noite do Capitão” é uma verdadeira aula de História do Teatro, contada num registo que alterna entre a comédia e a tragédia, a partir da história de um actor que cai no esquecimento depois dos anos de glória. Escrito pelo dramaturgo espanhol Felipe Cabezas, o monólogo é uma adaptação livre da célebre peça “Le Bravure de Capitano Spavento”, escrita em 1619 pelo cómico Francesco Andreini (1548-1624) e que é “um dos livros mais sugestivos da Commedia dell’arte”, que “foi motivo de inspiração, plágio e veneração entre os comediantes desde 1600 até hoje”, adianta Crawford.
Para o TCSB estão marcadas duas sessões, a 14 e 15 de Dezembro (sexta e sábado), sempre às 21h30. Nem sabe o bem que faz, uma noite no teatro… É um medicamento altamente eficaz para alma. Não fique em casa.

Rumando ao Clube de Leitura Teatral, este volta a “reunir” no TCSB, desta feita em torno de duas obras da dramaturga Lígia Soares – “Civilização” e “Cinderela”. A sessão será dirigida pela própria autora e está marcada para dia 04, às 18h30, como habitualmente com entrada gratuita.
Lígia Soares é uma coreógrafa e dramaturga portuguesa. Começou o seu trabalho na companhia de Teatro Sensurround em 1997. Desde 2001 criou mais de 20 peças da sua autoria a solo ou em colaboração. O seu trabalho tem sido apresentado nacional e internacionalmente, estando presente em vários programas internacionais de dança contemporânea. Foi artista residente da TanzFabrik-Berlin (2004/5) e bolseira da DanceWeb 2008 em Viena. Na sequência de trabalhos como “Romance” ou “Turning Backs” prossegue uma pesquisa em como criar dispositivos cénicos inclusivos da presença do espectador como elemento constituinte da dramaturgia do espetáculo. Tem promovido vários contextos nacionais e internacionais de programação como o “Demimonde” (PT) ou o “Face a Face” (BR). Tem peças editadas pela Douda Correria.

E há sábado sem infância no TCSB? Nem pensar. Porque já vos dissemos… Eles sabem que é de pequenino que se aprende a amar e respeitar a cultura.
Assim, o teatro está de volta aos Sábados para a Infância, pela mão do Cendrev – Centro Dramático de Évora. “A História Breve da Lua” é um texto (que de certeza conhece) de António Gedeão recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 8º ano de escolaridade. Escrita em verso, a divertida peça oferece aos públicos de todas as idades deliciosas explicações para os mistérios que desde tempos imemoriais espantam os humanos na sua relação com o seu satélite natural, como as célebres manchas ou as suas quatro fases.
O espectáculo do Cendrev é encenado por Rui Nuno, que também é intérprete, com Jorge Baião e Maria Marrafa e alguns bonecos “convidados” a juntarem-se à aventura. Para além da sessão de Sábado de manhã (dia 8, às 11h00), haverá na véspera (sexta-feira, dia 7, pelas 15h00), uma sessão para o público escolar da cidade.
A 15 de Dezembro, é a vez de Cláudia Sousa voltar a abrir as malas dos livros, para uma nova sessão de leitura de histórias para a infância. Uma semana depois, encerrando em festa a programação de 2018 do TCSB, Catarina Moura e Luís Pedro Madeira – o Taleguinho – desejam festas felizes a toda a gente, com o já tradicional concerto “Ficar a ver estrelas”.
Para todas estas sessões, que registam já bastante procura, é aconselhável fazer a compra ou reserva antecipada de bilhete, pelos contactos do Teatro.
Já esgotadas (bom sinal!) estão as oficinas de teatro e ilustração nas Férias do Natal, de novo dirigidas por Ricardo Kalash e Ana Biscaia. Terão lugar entre 17 e 21 de Dezembro e prevêem, como habitualmente, uma apresentação ao público, no final da manhã do último dia.

Por fim nesta nota, a 15 de Dezembro, pelas 16h00, a apresentação em Coimbra do livro “Neo-Realismo. Uma poética do testemunho. Alguns exercícios de releitura”. Trata-se de um conjunto de ensaios sobre vários autores neo-realistas – Alves Redol, Soeiro Pereira Gomes, Manuel da Fonseca, Mário Dionísio, Carlos de Oliveira, Manuel Tiago, Urbano Tavares Rodrigues – que propõe alguns exercícios de releitura das suas obras, motivações e actualidade.
Figura maior da literatura portuguesa, tanto enquanto poeta como enquanto ensaísta e crítico literário, Manuel Gusmão nasceu em Évora, em 1945. Foi professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo desenvolvido parte substancial do seu trabalho académico em literatura portuguesa, literatura francesa e teoria da literatura. É ensaísta e crítico, poeta e tradutor de poesia. Venceu vários prémios, entre os quais o Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia com a obra “A Terceira Mão” (2008) e de Ensaio, com a obra “Finisterra – o Trabalho do Fim: reCitar a Origem” (2009). A sua obra poética está maioritariamente coligida nos três volumes da antologia Contra Todas as Evidências, tendo publicado, já este ano, o livro “A Foz em Delta”.
A sessão acontece no Bar/Livraria do Teatro, conta com a presença do autor e com a apresentação do professor e investigador da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra António Pedro Pita. A entrada é livre.

Programação de Dezembro de 2018, no TCSB, para tomar nota na sua agenda:
08/12, 11h00 – TEATRO (M>3) – História Breve da Lua de António Gedeão pelo Centro Dramático de Évora.
11/12, 18h30-20h00 – OFICINA – Treino físico para as artes cénicas, Matilde J. Ciria.
11/12, 20h00-21h00 – OFICINA – NI.BUTOH – Ni Teatro Ni Dança, Matilde J. Ciria.
12/12 e 13/12, 21h30 – TEATRO (Espectáculo falado em castelhano) – Reglas, Usos y Costumbres en la Sociedad Moderna de Jean-Luc Lagarce pelo Tranvía Teatro (Saragoça, Espanha).
14/12 e 15/12, 21h30 – TEATRO – A última noite do capitão, Filipe Crawford.
15/12, 11h00 – LEITURA (M>2) – Flores de Livro, Cláudia Sousa.
15/12, 16h00 – APRESENTAÇÃO DE LIVRO – Neo-Realismo: uma poética do testemunho, de Manuel Gusmão por António Pedro Pita, com a presença do autor.
22/12, 11h00 – MÚSICA (M>3) – Ficar a ver estrelas, Taleguinho.

A ir, em Coimbra. Dê vida ao teatro, indo, e enriqueça o seu estar, na cultura. •

TCSB
© Fotografia: A última noite do capitão, DR.

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.