O macaco que veio da Floresta Negra

Monkey 47. O gin que é uma homenagem ao comandante Collins e o seu macaco, Max, composto por 47 botânicos, e o mote para uma viagem por Lisboa.

Os 47 botânicos que compõem a fórmula deste gin proveniente da Floresta Negra

Com partida marcada junto à Basílica da Estrela, o roteiro prossegue pelas ruas da cidade das sete colinas a bordo de um elétrico, na companhia do diretor e proprietário, Alexander Stein, e do mestre destilador, Christoph Keller, do Monkey 47, o gin da Black Forest Distillers inspirado, desde 2018, na receita de Montgomery Collins.

Resultado: Um lote destilado, gin não filtrado que alia a tradição britânica, o exotismo da Índia e a natureza no estado mais puro da Floresta Negra. Isto é, um gin seco da Floresta Negra.

Sobre os botânicos – em exposição na Loja das Sementes, na praça da Figueira, em Lisboa, numa alusão aos ingredientes utilizados na produção do Monkey 47 – um terço provém da enigmática Floresta Negra, como o abeto, as groselhas frescas, o sabugueiro, as baga de espinheiro negro e a folha de amora, entre outros, todos colhidos à mão sendo, a posteriori, envelhecidos, durante três meses, em recipientes de barro tradicionais. Após o processo de maturação, o destilado é diluído na água da nascente da Floresta Negra até atingir o ponto. Tudo é feito por Alexander Stein e o mestre destilador Christoph Keller numa destilaria, que já o era desde o século XIX onde, ainda hoje, se encontra o forno a lenha e os aposentos dos aprendizes, e testemunha a composição tradicional de um moinho, pormenores que resistiram à renovação do espaço, em 2010, com novas instalações de destilação feitas à medida e à mão por caldeireiros, e novas salas de provas e caves de maturação.

Levantada uma ponta do véu acerca da produção do Monkey 47, saltamos para a garrafa, a reinvenção da velha garrafa de farmácia que Alexander Stein descobriu durante um passeio numa feira de velharias. De vidro castanho, para proteger o vinda luz, a garrafa ornamenta um rótulo desenhado à mão, no qual está retratada a era colonial vitoriana vivida por Montgomery Collins.

Gin à prova na Loja das Sementes, em Lisboa

Mas quem era Montgomery Collins? Filho de um diplomata britânico nasceu, em 1909, na província indiana britânica de Madras tendo sido, em adulto, e enquanto comandante da Força Aérea Real Britânica, enviado para a parte que ficou para os ingleses de Berlim, no pós-II Guerra Mundial, onde se dedicou à reconstrução do Jardim Zoológico da cidade, onde apadrinhou um macaco de nome Max. Porém, a paixão pelo mundo da relojoaria levou-o a mudar-se para a zona norte da Floresta Negra, onde acabou por abrir uma guesthouse batizada de Zum wilden Affen – O Macaco Selvagem – em homenagem a Max. Eis então que surge o interesse pela produção de gin, a bebida mais inglesa do mundo, tendo desenvolvida uma receita de gin Black Forest, a qual evoluiu, no presente, para a fórmula do Monkey 47.

Vai um brinde? Afinal, está na hora de beber um gin tónico nas canecas personalizadas da marca e saborear um gelado de gin da Santini. •

+ Monkey 47
© Fotografia: João Pedro Rato
Legenda da foto de entrada: Alexander Stein e o mestre destilador, Christoph Keller

Para partilhar com os amigos

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.