Um hotel que é uma viagem pelos Descobrimentos Portugueses

Outrora porto seguro da Sociedade Mercantil Industrial, hoje, o mesmo edifício contempla a tradução livre de um roteiro tranquilo por terras encontradas por marinheiros intrépidos e agraciado por uma decoração tecida por linhas retro. Eis o Descobertas Boutique Hotel.

Os barrotes de madeira dos tetos foram reaproveitados e pintados de branco

A arquitetura deste antigo e histórico prédio do século XX, erigido para albergar a então Sociedade Mercantil Industrial na Ribeira do Porto, em pleno centro histórico da Invicta classificado, em 1996, como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO é morada atual do Descobertas Boutique Hotel, que homenageia os Descobrimentos Portugueses, convidando os hóspedes a embarcar numa viagem a Moçambique, Cabo Verde, à Índia, ao Brasil e a Macau.

Entremos. Ou não… Ainda do lado de fora, desengane-se o olhar de quem julga se tratar “de uma loja de antiguidades”, de mobiliário vintage, revelou Filipa Monteiro, diretora geral do boutique hotel. Trata-se, isso sim, de um hotel dotado de um estilo retro e industrial pautado pelo requinte da paleta dominada pelos tons cinza e castanhos em sofás que convidam a preguiçar depois de uma manhã ou uma tarde preenchida por passeios pela Invicta.

As vigas de ferro antigas são assumidas numa arquitetura feito à imagem de um décor vintage industrial

Agora sim, entremos. A predominância dos tons quentes são mais evidentes, assim como os contornos das peças de mobiliário – oriundas de fora de portas, como os barrotes de madeira que, empilhados, dão forma ao balcão da receção –, os quais se tornam mais definidos e são complementados por mesas de apoio feitas a partir de toros de madeira circundados de ferro negro a combinar com o material e cor das titanescas vigas originais do prédio, as quais atravessam e se assumem de alto a baixo, no interior do edifício, permanecendo, no presente, sustentadas em robustos blocos de mármore visíveis no piso térreo.

Enquanto os olhos percorrem o espaço em redor são muitos os detalhes que despertam a atenção, como o mapa com a inscrição curvilínea do continente africano num painel de metal cinza que ocupa uma grande parte de uma das paredes do lobby. Moçambique é, portanto, o país que dá as boas vindas a quem elege o Descobertas Boutique Hotel para pernoitar no Porto – e de onde vieram algumas das peças de decoração, como as estátuas de pau preto dispostas nos pisos que complementam este vetusto edifício na Ribeira do Porto ou as loiças que ornamentam o mobiliário do lobby –, pois de Moçambique é o fundador desta unidade que, numa primeira visita à cidade, “ficaram tão fascinados que acabaram por abrir as portas deste hotel”, explicou Filipa Monteiro. “As expectativas não eram baixas e o feedback foi óptimo”, pois a abertura aconteceu em maio de 2015 e, “com a entrada do verão, a ocupação foi crescendo”, continuou a nossa cicerone.

No mezzanine bar (piso M), espaço versátil, reservado aos pequenos-almoços, à leitura e definido também como business center, e que está enquadrada no lobby, a temática moçambicana mantém-se presente nos elementos decorativos e nas cores combinadas com o branco dos barrotes de madeira antigos reaproveitados, os quais ornamentam o teto de cada piso.

Os elementos decorativos são alusivos à temática abordada em cada piso do boutique hotel

Subamos. À medida que é exploramos cada andar do hotel embarcamos numa e em outra viagem. Primeiro em Cabo Verde, com elementos decorativos alusivos àquele país do Atlântico nos quartos plenos de conforto e de requinte, desde o papel de parede às almofadas dispostas nos leitos.

O ferro pintado a negro marca forte presença em cada recanto

E onde os candeeiros – de parede e de teto – entram no alinhamento do décor vintage industrial deste projeto de arquitetura assinado pelo arquiteto António Leitão Barbosa e de design de interiores da autoria da arquiteta madrilena Pilar Paiva de Sousa.

Os sofás abundam na decoração cosy do Descobertas Boutique Hotel

Por sua vez, a Índia é o destino do segundo piso, demarcado pelo seu exotismo, e a próxima paragem – ou seja, a do terceiro andar – está marcada pela excentricidade subtil do Brasil, enquanto o último remete para Macau. E em todos se encontram dispostos sofás para um ocasional momento de descanso.

Do teto chega a luz que dá vida às cores de cada piso, graças à janela de vidro que rasga a cobertura deste prédio pintado de azul, no exterior, seguindo o alinhamento da paleta de cores do casario da Ribeira do Porto onde, no presente, a restauração, a hotelaria e os quiosques e demais espaços com souvenirs substituem as trocas comerciais de tempos idos sem, porém, esquecer os típicos barcos rabelos que, ainda hoje, percorrem o rio Douro, para dar a conhecer a paisagem singular a turistas, vaiajantes e amantes de tão romântica cidade portuguesa.

Os detalhes exóticos enfatizam o ar acolhedor no interior deste edifício histórico do Porto

De volta ao Descobertas Boutique Hotel, Filipa Monteiro adiantou que, para bem perto da Sé do Porto, está projetado “um outro Descobertas, com um restaurante e uma esplanada” e que “para já não há o objetivo de abrir hotel em Lisboa”.

Portanto fiquemos, para já, pela rua Fonte Taurina, 14-22, na Invicta, cujo acesso é feito a pé, motivo pelo qual se recomenda o estacionamento do veículo num parque de estacionamento próximo do hotel.

Boa viagem e boa estadia!

A propósito, há quanto tempo não inclui o Porto no seu roteiro de férias? •

+ Descobertas Boutique Hotel
© Fotografia: João Pedro Rato
+ Agradecemos à DS o apoio na realização da viagem
Legenda da foto de entrada: Detalhes do piso 4 dedicado a Macau

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.