O revivalismo gastronómico está em cena no Grill D. Fernando

Cocktail de gambas Neptuno, tornedós D. Fernando e crepes Suzette são, para já, três dos pratos da carta do restaurante do 12.º piso do Altis Grand Hotel que, até 31 de Janeiro, convidam a viajar até aos anos 70 do século XX.

Os afamados crepes Suzette do Grill D. Fernando continuam a dar que falar

“Grill D. Fernando, para apreciar a verdadeira cozinha portuguesa e internacional num miradouro sobre Lisboa”. A frase, exibida num folheto publicitário da década de 1970, refere-se ao requintado restaurante do Altis Grand Hotel. A unidade hoteleira que, a 17 de Novembro de 1973, abriu portas na cidade de Lisboa com a assinatura de Daciano da Costa (1930-2005), arquitecto e designer, autor dos interiores, das peças de mobiliário decorativas e de iluminação, bem como das fardas, com o laranja e o castanho a predominar na paleta das cores. Sem esquecer o conforto, sempre aliado ao design, quando se fala de tão marcante figura do design em Portugal, como Daciano da Costa. A prova está nas poltronas e nas mesas de tampo preto e pé dourado mate, do Bar S. Jorge, contíguo ao Grill D. Fernando; no tecto em madeira ainda com os focos originais, dispostos aleatoriamente, a remeter para a um céu estrelado. Ou nos cadeirões laranja da sala do restaurante, dispostos em redor das mesas redondas.

A comemoração de tão especial data deu azo a uma viagem no tempo fundamentada nos pratos servidos sob a primazia dos clássicos de então. O destino leva-nos, portanto, ao 12.º piso do n.º 11 da Rua Castilho onde, até 31 de Janeiro, é servida a sua primeira carta. Os pratos são, desta feita, elaborados pelo chef Ricardo Mourão cujo trabalho de pesquisa envolveu o arquivo de receitas e a consulta do chef de então, bem como dos cozinheiros de outros tempos, para que o empratamento saísse comme il faut.

O momento da apresentação do prato do dia das sugestões semanais

Sempre que a logística o permite, é utilizada a baixela da época concebida especialmente para o restaurante. O mesmo conjunto de serviço de mesa, religiosamente guardado no hotel até ao presente, está exposto à entrada do Grill D. Fernando. Peça a peça. Desde o cesto de pão ao faqueiro, passando pela manteigueira, pelas leiteiras, pelas bandejas, pelos shakers, pelas molheiras, entre outros utensílios banhados a prata, da Béard, devidamente gravados com o monograma do Altis Grand Hotel, juntamente com a primeira carta e a primeira conta do restaurante.

Cocktail de gambas Neptuno 

O próprio cocktail de gambas Neptuno, uma das entradas da carta e um clássico da casa, é servido numa das taças da referida baixela, como mandava a cartilha da época, no que que à apresentação dizia respeito.

Sopa de marisco

A sopa de marisco e os cogumelos são outros dos mais recomendados pratos para iniciar o repasto no Grill D. Fernando.

O linguado à Costa Verde também consta na carta, bem como o robalo cozido en court bouillon, caldo feito a partir de vegetais e condimentos, no qual é mergulhado o peixe. A somar ao pregado corado à Gastrónomo e à mui recomendada garoupa à algarvia, servida com batata e feijão verde cozidos.

Tornedós D. Fernando

Tórnedos D. Fernando é outro dos clássicos.“A carne é frita, leva uma juliana de presunto e acompanha com arroz árabe”, explica o chefe de sala Artur Caldas, com quase 18 anos de serviço no Altis Grand Hotel, guardador de muitas das preferências dos clientes habituais do Grill D. Fernando.

No alinhamento dos pratos de carne também estão as costeletas de borrego grelhadas com molho de hortelã e as costeletas de vitela à portalegrense, por exemplo.

Os crepes Suzette são preparados in loco pelo chefe de sala, Artur Caldas

Os crepes Suzette continuam a ser os favoritos de muitos dos que frequentavam o restaurante do 12.º piso do Altis Grand Hotel – e que regressaram precisamente por causa deste revivalismo gastronómico carregado de memórias intimamente ligadas às papilas gustativas. A sua preparação tem as mãos de Artur Caldas que, com a mestria de outrora, manuseia os utensílios e adiciona os ingredientes aos crepes em plena sala. O mesmo procedimento era utilizado com as gambas Altis, “mas, por uma questão de logística deixou de ser feito aqui”, afirma. Este prato faz, por sua vez, parte do Menu de Degustação 45 Anos (€65, com bebidas incluídas), ao qual se segue a garoupa à algarvia, o trois filet mignon à l’Escoffier e, por fim, os afamados crepes Suzette.

Vale das Areias Arinto 2015 e foi o escolhido para acompanhar as entradas e o robalo cozido en court bouillon, enquanto o Vale das Areias Syrah 2014 harmonizou com a carne; ambos são dos Vinhos de Lisboa

Na lista das sugestões semanais estão outros clássicos da cozinha tradicional: garoupa com molho Vale das Areias Arinto, à segunda; perna de borrego com molho de alecrim, à terça; pargo assado à Portuguesa, à quarta; cozido à portuguesa, à quinta; e bacalhau cozido com todos, à sexta-feira.

O Grill D. Fernando está de portas abertas de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h30, e ao sábado, das 19h30 às 22h30.

Vale a pena esta viagem até 31 de Janeiro, com regresso nos dias seguintes, até porque há pratos que continuarão a fazer parte da carta actual. 

É ir para descobrir. Bom apetite! •

© Fotografia: João Pedro Rato
+ Altis Grand Hotel

Partilhe com os amigos:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.