RESTAURANTES, RESTAURANTES LISBOA, TABLE 0

Massa fina, estaladiça no rebordo… e o queijo? Uhm!

Burrata é o nome da pizzaria artesanal fundada por quatro sócios. Um é mestre pizzaiolo que, ao fim de duas décadas dedicadas à pasteleria, decide trocar a farinha e pôr a mão em outro tipo de massa.


Fundada em 2017, na porta ao lado, a Burrata muda, em Setembro de 2019, para o n.º 591A da Estrada de Benfica, em Lisboa. “No início mantivemos a pastelaria de fabrico próprio aqui e a pizzaria na porta ao lado. O Nuno fazia tudo sozinho, todos os dias. Tem mais de mil receitas na cabeça!”, explica Vera Lopes. “Mas o negócio tem de ser rentável, por isso, encerramos a pastelaria e mudamos a pizzaria para aqui”, continua Diogo Branco, “adepto do monoproduto”, como se auto-define. “Estive três meses a elaborar as receitas e mais de um mês na cozinha com o Nuno e a restante equipa”, continua enquanto fala do empenho dos restantes sócios deste negócio criado em família. 

Diogo Branco é empresário de restauração há mais de uma década e tem como sócios o cunhado, Nuno Teixeira, o chef pasteleiro que se torna pizzaiolo, marido de Vera Lopes, cunhada, que troca a consultoria de moda – mas não totalmente – pela de relações públicas e arte de servir à mesa, e a mulher, Raquel Lopes, irmã de Vera, que também marca presença na sala sempre que é preciso.


Mozarella, cogumelos, bacon, ovo, azeitonas e molho de natas são os ingredientes da pizza Carbonada


Todos passaram por um período de adaptação, mas ser pizzaiolo é muito diferente para Nuno Teixeira, “já para não falar na farinha tipo 00 (zero zero)”. Pasteleiro autodidacta, trabalhou em duas casas ligadas a este sector, na Grande Lisboa, e numa panificadora, em Marvila, antes de assumir a função de pasteleiro em casa própria. “Agora é mais fácil.”  A massa demora oito horas a levedar – “de manhã preparam a massa para a noite e à noite preparam a massa para o outro dia, de manhã” – e, além de Nuno Teixeira, há dois outros pizzaiolos. Já o processo de cozedura está no segredo dos deuses.

A decoração também foi pensada ao pormenor por Diogo Branco. As cadeiras em metal, a parede a simular os tijolos dos fornos a lenha, os candeeiros dispostos em fila sob as mesas com tampo em mármore e o sofá corrido num dos lados conferem conforto e convidam a uma refeição descontraída. Os pedidos oscilam entre as mais de uma dezena de pizzas artesanais de massa fina e rebordo estaladiço, muito apreciadas por todas as idades. “Vêm muitas famílias, seja à semana, seja ao fim-de-semana. Tenho clientes que vêm três a quatro vezes por semana”, revela Vera Lopes. “É porque gostam muito das nossas pizzas”, assegura. 


A mozarella ralada da Maestrela é a estrela das pizzas da Burrata. E a massa?! É ir e comer!


Talvez o outro segredo, desta feita, revelado passe pela utilização da mozarella da Maestrella. “O queijo é a essência da pizza. Houve várias tentativas com outros queijos, isto é, de outras marcas e nenhum se compara a este da Maestrella”, declara Vera Lopes. A escolha foi feita quase logo de início da abertura da pizzaria, em 2017, e já depois de terem testado outros queijos.

“Tem a ver com o comportamento deste queijo na própria pizza e no forno. É um queijo de grande qualidade e tem a ver com o tipo de mozarella ralada que, ao ser submetida a altas temperaturas, é que se vê se é boa ou não. Não podemos deixar que o queijo perca qualidade no takeaway e no delivery porque, ao chegar a casa, o nosso cliente quer ver a elasticidade do queijo ao tirar uma fatia e isso tem muito a ver com a qualidade deste produto”, explica. “O sabor é mais neutro, para não se sobrepor aos restantes ingredientes que também têm de ser saboreados. Por isso, há que encontrar um equilíbrio neste conjunto de ingredientes e achamos que era este produto era o mais indicado.”


Na lista cabem a clássica Margarita, a La Burrata, criada em nome desta pizzaria, a Diavola, outras das pizzas preferidas dos clientes, entre as demais inscritas numa carta curta, para possibilitar “uma maior rapidez e fluidez no serviço e que consigamos estar mais focados na qualidade, o que permite ter a gestão controlada”, esclarece Vera Lopes.


Salada chèvre e mel contém tomate cherry, cebola roxa, alface, rúcula, nozes e, claro, queijo de cabra e mel


Das três saladas, destaque-se a de chèvre e mel feita com queijo de cabra com um sabor e uma cremosidade doa agrado da equipa “e que poderá entrar numa pizza”, por exemplo. As três sugestões de massas fazem parte igualmente da lista.


Pepperonni, Tropical e Carbonara são algumas das pizzas favoritas de quem elege a Burrata para uma refeição descontraída


“Iremos, em breve, ter uma nova carta, com outros pratos”, diz-nos Vera Lopes como um bom pretexto para (re)descobrir as pizzas artesanais da Burrata que, a partir deste mês de Maio, estará de portas abertas todos os dias, das 12h00 às 23h00, sem descurar do takeaway a pedido através do telefone 217161766. 

No final, é escolher uma das sobremesas feitas por Nuno Teixeira que, deste modo, continua a pôr em prática o ofício de pasteleiro, e ir à croissanteria, na porta ao lado, onde fica O Meu Croissant e levar croissants franceses, de massa folhada simples, doces ou salgados, para o lanche ou voltar para lanchar neste pequeno espaço acolhedor.

Conteúdo desenvolvido em parceria com:

+ Burrata
+ Maestrella
+ Maestrella no Facebook
+ Maestrella no Instagram
+ Dreamplus
+ Dreamplus no Facebook
+ Dreamplus no Instagram

© Fotografia: João Pedro Rato

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

You Might Also Like

No Comments

Leave a reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.