“Soil to Soul”. O festival do Alandroal leva-nos a pensar “somos o que comemos”

Nos dias 14 e 15 de Maio, o concelho raiano do Alentejo é o epicentro do debate sobre a educação alimentar e a agricultura regenerativa, ao qual adiciona boa comida e duas mãos cheias de produtores, uma dose generosa de música e uma pitada de animação.

O Castelo do Alandroal, localizado no coração do município homónimo do distrito de Évora, é palco do evento “Soil to Soul”, festival que tem origem em Zurique. A esta designação, o município decidiu aliar o sub-tema “Somos o que comemos”, que também já foi adoptado naquela cidade suíça. “É uma conjugação numa perspectiva de festival que se quer também internacional”, explica João Grilo, Presidente da Câmara Municipal do Alandroal, em relação ao nome deste festival.

Línguas à parte, o objectivo deste festival é mostrar quão importante é a regeneração do solos nas práticas agrícolas, mudança a implementar em nome de uma alimentação saudável, a bem da sustentabilidade. No âmbito da gastronomia, esta iniciativa tem como embaixadores José Júlio Vintém, chef e co-proprietário do Tombalobos, restaurante situado no centro histórico da cidade de Portalegre, e Paulo Amado, Director da Edições do Gosto. Ambos partilharam a tarefa de convidar chefs portugueses, para confortar o estômago e a alma de quem visitar este certame.

Segundo David de Brito, co-proprietário da Terramay – propriedade de 562 hectares, que engloba uma “quinta auto-sustentável” e um “retiro regenerativo”, situada no concelho do Alandroal, a escassos quilómetros da vizinha Espanha – esta temática é transversal ao mundo inteiro e só é possível através da mudança dos “nossos hábitos”. É na regeneração dos solos que “começa a solução do problema”, diz, acrescentando o valor associado à dinamização do interior do país. “Aquilo que este festival faz é permitir-nos falar e discutir sobre quais as soluções, para podermos estar mais próximos duma solução global.” 

Nesta linha de debate, marca presença Alfredo Sendim, proprietário da Herdade do Freixo do Meio (Montemor-o-Novo), Francisco Alves, da Porcus Natura (Montemor-o-Novo), João Valente, da Monte Silveira Bio (Castelo Branco), David de Brito, da Terramay, Fernado Moitel, Director Pedagógico da Além Risco, António Cordeiro, da Quantic 9, Mafalda Sena, da Senas Saudáveis, Cláudia Viegas, que irá falar sobre “Nutrição Saudável”, Sérgio Nicolau, viticultor regenerativo, bem como Francisco Rodrigues Mondragão, que vai falar sobre “Agricultura Sustentável. A moderação está a cargo de Paulo Amado.

O festival “Soil to Soul” conta ainda com a presença de Marlene Vieira (ZunZum Gastrobar e Marlene, em Lisboa), Lídia Brás (Stramuntana, em Vila Nova de Gaia) e Jóssara Martins (Jossy’s, em Vila Real de Santo António), bem como de João Sá (Sála, em Lisboa), Vitor Adão (Plano, em Lisboa) e Mateus Freire (Osso Bento, em Lisboa). Ou não fosse esta acção um pretexto maior, para mostrar a importância da qualidade do produto local e regional na cozinha, em nome das boas práticas ligadas à sustentabilidade, com ênfase na chamada “comida de conforto”, expressão enaltecida por José Júlio Vintém, que também mostra a sua aptidão de cozinheiro neste evento.

Por sua vez, os produtores são convidados pelos fundadores da Terramay. Neste cartaz, constam o Pão da São, o queijo artesanal do I’m Cheese e o presunto de porco alentejano da Absoluto, para começar. Os Cogumelos do Alentejo, o peixe do rio do mestre João, as carnes do Talho das Manas, os produtos da Herdade do Freixo do Meio e da Terramay fazem igualmente parte desta montra, a qual é complementada pelo azeite e o vinho da Herdade do Esporão, e da Herdade dos Outeiros Altos, bem como a cerveja e outras bebidas da Craft Heritage.

Para acompanhar, há música da banda portuense Best Youth e do músico português Benjamim, além dos DJs Pedro Ramos e RAI. A festa está aí. É ir!


+ Festival “Soil to Soul”
© Fotografia: João Pedro Rato

Já recebe a Mutante por e-mail? Subscreva aqui.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.