Belcanto, São Gabriel e Pedro Lemos / Michelin 2015

Os três são a notícia da noite: O São Gabriel, porque recuperou a estrela, o Belcanto, porque somou mais uma, e o Pedro Lemos, porque entrou para a constelação neste Guia Michelin de 2015.

Portugal conta, assim, com mais dois restaurantes com uma estrela Michelin – o restaurante ao comando do chef Leonel Pereira (leia a entrevista aqui), em Almancil, a sul, e o restaurante com o chef Pedro Lemos à frente, no Porto, a norte – e um outro com duas distinções do “guia vermelho” – o Belcanto, em Lisboa, do chef José Avillez, ao centro, dois anos depois de receber a primeira, tornando-se o primeiro chef português a ver o seu restaurante com duas estrelas Michelin.

Depois do amuse-bouche, eis a entrada, que remete para os espaços dedicados à alta gastronomia galardoada com duas estrelas: O Ocean, em Armação de Pêra, com o chef Hans Neuner, e o Vila Joya, em Albufeira, com o chef Dieter Koshina, aos quais se junta o Belcanto.

No prato principal constam os restaurantes com uma estrela Michelin: O Largo do Paço, em Amarante, com o chef Vítor Matos (leia a entrevista aqui); o Yeatman, em Vila Nova de Gaia, com o chef Ricardo Costa; o Eleven, em Lisboa, com o chef Joachim Koerper (leia a entrevista aqui); o Feitoria, em Lisboa, com o chef João Rodrigues (leia a entrevista aqui); o Fortaleza do Guincho, em Cascais, com o chef Vincent Farges (leia a entrevista aqui); o L’AND Vineyards, em Montemor-o-Novo, com o chef Miguel Laffan; o Willie’s, em Vilamoura, do chef Willie Wurger; o Henrique Leis, em Almancil, do chef Henrique Leis; e o Il Gallo d’Oro, no Funchal, com o chef Benoît Sinthon. A estes somam-se o portuense Pedro Lemos e o algarvio São Gabriel.

Agora o doce final: Portugal entra no melhor ano de sempre no que concerne ao “guia vermelho”, com 14 restaurantes e 17 estrelas no firmamento da alta gastronomia. •

 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.